13/05/2020 13h43

Carga de respiradores comprados por Santa Catarina está presa em Guarulhos

Equipamentos deveriam ser entregues ao governo do Estado até o meio-dia desta quarta-feira (13); lote de equipamentos ainda passa por inspeção alfandegária

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

O primeiro lote com 50 respiradores comprados por Santa Catarina está há 24 horas presa no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Os aparelhos, que custaram R$ 33 milhões e foram adquiridos através da empresa Veigamed deveriam ser entregues ao governo do Estado até o meio-dia desta quarta-feira (13). 

 

De acordo com a Veigamed, fornecedora dos equipamentos, a carga está parada porque é preciso aguardar a finalização dos trâmites alfandegários para seguir viagem por terra. A empresa ainda não deu novo prazo de quando os equipamentos chegam ao Estado. 

 

Na segunda-feira (11), a empresa enviou uma nota informando que os equipamentos, assim que chegassem ao País, seriam entregues em um prazo de 24 horas para o Estado. O atraso, no entanto, segundo a companhia, ocorre por conta dos procedimentos alfandegários.

 

A assessoria do aeroporto também foi consultada, mas alegou que não pode repassar informações sobre cargas dos clientes. 

 

Desembarcados no Brasil na tarde de terça-feira (12), os equipamentos comprados na China serão submetidos a inspeção de qualidade. Depois deste processo, um caminhão-cofre com escolta armada trará a carga até um depósito designado pelo governo de Santa Catarina. O local em que os equipamentos ficarão guardados não foi divulgado. 

 

Chegada ao Brasil

 

A chegada dos equipamentos ao país ocorreu dentro da última previsão feita pela empresa Veigamed.

 

Os respiradores, no entanto, já eram esperados no sábado (9). De acordo com a assessoria da empresa, as cargas tiveram atrasos por conta da pandemia do novo coronavírus, que “trouxe uma série de adversidades ao comércio internacional, de modo geral”.

 

Fonte: ND+

PUBLICIDADE