02/05/2020 10h47

Ex-dirigente do São Paulo comenta negociação com Dudu, do Palmeiras, e afirma que jogador estava contratado

O craque estava sendo disputado por Corinthians e São Paulo, mas acabou parando no Palmeiras, onde hoje é ídolo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

A contratação que mais simboliza a nova fase do Palmeiras, que desde 2015 voltou a brigar por títulos de expressão, é a do atacante Dudu.

 

O jogador, que na época pertencia ao Dínamo de Kiev, fez uma ótima temporada no Grêmio, estava sendo disputado pelos rivais, Corinthians e São Paulo, e surpreendeu a todos quando fechou com o alviverde.

 

Ataíde Gil Guerreiro, ex-vice presidente de futebol do tricolor, revelou, em uma entrevista concedida para o portal Yahoo!, que o atacante estava fechado com o time da Morumbi.

 

Ele veio para São Paulo para assinar o contrato conosco. Mandei o Júnior Chávare, que cuidava da base, para recebê-lo, até porque eles eram amigos. Mas ele sumiu no aeroporto. Começamos a achar que ele tinha ido para o Corinthians“, revelou Ataíde.

 

Depois da “fuga” de Dudu, o ex-dirigente contou que o atacante reapareceu para fazer novas exigências: “O Dudu apareceu no meu escritório às 22h e veio com umas exigências enormes. Ele queria ganhar muito mais do que aquilo que havíamos combinado e não tinha a menor chance de aumentarmos a proposta

 

Quando o Dudu foi embora, a gente achava que o negócio era com o Corinthians. Só no dia seguinte descobrimos que era o Palmeiras“, completou.

 

Inclusive, em uma entrevista passada, Alexandre Mattos, diretor de futebol na época e que cuidou diretamente da negociação que fez Dudu “pular o muro” dos CT’s da Barra Funda, afirmou que toda a documentação veio com os dados do São Paulo: “Dudu estava fechado com eles, mas conseguimos reverter em cima da hora. Tanto que tivemos de mudar o escudo do São Paulo e o nome do presidente no contrato e só aí devolvemos os documentos para o Dínamo de Kiev

 

Cinco anos depois, Dudu completou recentemente 300 jogos pelo Palmeiras e conquistou três títulos pelo time alviverde: Uma Copa do Brasil e dois Brasileiros, tendo destaque em todos.

 

Ataíde, por fim, revelou ter frustração pelo não-acordo com o atacante: “Essa foi a única negociação frustrante que eu tive como dirigente do São Paulo. Mas não dava para pagar o que ele pediu. O antigo acerto já estava no nosso máximo. E não tinha como pagar mais sem criar um racha no elenco

 

Fonte: Sportbuzz

PUBLICIDADE