24/06/2020 10h37

Cinco fatos que tornam impossível a Terra ser plana

Apesar do formato redondo da Terra já ser defendido desde do século 6 a.C. pelos gregos, uma visão tradicional cristã teoriza o oposto

PUBLICIDADE
Fonte: Aventuras na História

Fonte: Aventuras na História

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Apesar de parecer um conceito mais moderno, a noção de que a Terra é redonda apareceu na filosofia grega, no século 6 a.C., com Pitágoras — apesar da maioria dos pré-socráticos defenderem o pensamento equivocado de que a Terra seria plana.

 

Em 330 a.C., Aristóteles já entendia toda essa questão. Sobre o Céu, o filósofo explica: “Novamente, nossas observações das estrelas tornam evidente que não só a Terra é circular, como também se trata de um círculo não muito grande. Uma pequena mudança de posição para o sul ou para o norte provoca uma alteração nítida no horizonte”.

 

Explicando de maneira mais simples, a constelação que vemos no céu depende muito da região onde estamos, afinal, o firmamento visto no Hemisfério Sul não é igual ao observado no Hemisfério Norte. Algo que seria impossível se a Terra fosse plana, já que veríamos sempre as mesmas estrelas independente de seu ponto de observação.

 

Mapa da Terra plana desenhado por Orlando Ferguson em 1893 / Crédito: Wikimedia Commons

Mapa da Terra plana desenhado por Orlando Ferguson em 1893 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Apesar dessa certeza difundida ao longo dos séculos seguinte, ainda hoje existe um seleto grupo que nega a se render a qualquer tipo de comprovação científica e acredita veementemente que a Terra é plana. Muito disso acontece em virtude de uma visão tradicional cristão, que crê que o Universo foi criado por um ser superior que rege todas as suas leis.

 

Mas como refutá-los? Conheça cinco fatos científicos que provam que a Terra não é plana:

 

1. Observando um eclipse

 

Além da diferença de estrelas em cada Hemisfério, Aristóteles também usou outro fenômeno para provar seu ponto de vista: os eclipses lunares. Assim, o grego mostrou que, durante esses eventos, a sombra que a Terra emite na face da Lua é curvada.

 

Sombra semi-circular da Terra na Lua durante um eclipse lunar parcial / Crédito: Wikimedia Commons

Sombra semi-circular da Terra na Lua durante um eclipse lunar parcial / Crédito: Wikimedia Commons

 

Com isso, o filósofo compreendeu, corretamente, que a Terra é curvilínea por toda a parte, ou seja, uma esfera.

 

2. Olhe um barco sumindo no horizonte

 

Esta talvez seja o argumento mais simples e comum quando debatemos sobre a curvatura da Terra. Ao observamos um barco partindo de um cais e indo em direção ao horizonte, podemos observar que ele não fica cada vez menor até sumir, mas que primeiro o caso da embarcação desaparece e só no fim some a ponta da vela.

 

Isso seria impossível de acontecer caso a Terra fosse plana e nos demonstra de maneira prática a curvatura do planeta, por mais que ela seja imperceptível a curtas distâncias.

 

3. Voe

 

Como já dito, a curvatura da Terra pode parecer imperceptível a curtas distancias, mas ela pode ser observada a olho nu durante um voo de avião. Segundo um artigo de 2008, publicado na Applied Optics, o formato arredondado da Terra pode ser visto de maneira sutil a uma altura de aproximadamente 35 mil pés. Entretanto, o observador tem que tem um campo de visão de 60 graus.

Já os passageiros de um jato supersônico podem ver a curvatura de modo mais visível, voando 10 mil pés acima dos 50 mil pés sugeridos para esse tipo de experiência.

 

4. Use um balão meteorológico

 

Em 2017, um grupo de estudantes da Universidade de Leicester, no Reino Unido, comprou um balão meteorológico e prendeu nele algumas câmeras. O balão alcançou uma altitude de 77,429 pés (ou 23,6 quilômetros) e o equipamento registrou imagens deslumbrantes de nosso planeta esférico.

 

Foto feita pelos estudantes da Universidade de Leicester / Crédito: phys.org

Foto feita pelos estudantes da Universidade de Leicester / Crédito: phys.org

 

5. Compare as sombras

 

Nascido em 276 a.C., o matemático grego Eratóstenes foi a primeira pessoa a estimar a circunferência da Terra. Para isso, ele comparou os tamanhos das sombras de Assuão, no Egito, com uma cidade ao leste de Alexandria. Assim, ao meio dia, no solstício de verão, quando o Sol estava sobre sua cabeça em Assuão, o grego percebeu que não havia penumbra, porém, uma vara colocada no chão da outra cidade havia projetado uma sombra no solo.

 

Se a Terra fosse plana, independente do lugar que vivêssemos, não haveria nenhuma diferença entre os comprimentos das sombras, já que a posição do Sol seria a mesma em relação ao chão.

PUBLICIDADE