08/11/2018 14h31

Polícia investiga suposto abuso sexual de menino autista em SC

O Conselho Tutelar também acompanha o caso

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

A Polícia Civil de Tubarão investiga um suposto abuso sexual, sofrido por um menino de oito anos, após relatos da criança a uma professora. A conversa ocorreu depois de uma palestra do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), onde os policiais trataram, entre outros temas, de abuso sexual. Na tarde desta quarta-feira, 7, a criança procurou a professora e comentou que vivia aquele tipo de violência dentro de casa.

 

Segundo relatório da Polícia Militar, uma guarnição foi deslocada até o colégio, pois a professora percebeu que a criança poderia estar com dor. Através de bichos de pelúcia, conquistaram a confiança do menino, que relatou onde sentia dor e onde era abusado sexualmente. O Conselho Tutelar também acompanha o caso, e mãe e criança foram encaminhadas à delegacia.

 

Na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI), a família recebeu atendimento psicológico, e um inquérito policial será instaurado para apurar a denúncia. A delegada Jucinês Ferreira aguarda o relatório do psicólogo para ter mais detalhes sobre o que a criança disse, e diz que o trabalho será conjunto. Além do apoio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), o menino pode ser retirado da família, se necessário.

 

— Muitas vezes os abusos são atos que não chegam ao ato de conjunção carnal ou coito anal, e daí não há vestígios. Se o relatório psicológico apontar os fatos, aí sim se encaminhará o menino para exame médico. Tenta-se ao máximo não expô-lo a situações que possam comprometer seu estado psíquico — explicou a titular da Dpcami.

 

 

Por Lariane Cagnini / NSC
PUBLICIDADE