10/04/2018 09h20 - Atualizado em 10/04/2018 09h11

Homem mata a ex-mulher a tiros e tira a própria vida em SC

Irmã da vítima dormia no quarto ao lado

PUBLICIDADE
Click Camboriú

Click Camboriú

PUBLICIDADE
Delta Ativa

A segunda-feira (9) foi marcada por uma tragédia com motivação passional no bairro Murta, em Itajaí. Um homem matou a ex-mulher e depois atentou contra a própria vida, na casa onde a jovem vivia, na Rua Alexandre Dávila Batista.

 

Por volta das 09h20min, a guarnição do Corpo de Bombeiros se deslocou para uma ocorrência de vítima ferida por arma de fogo. Ao chegar no local, a guarnição se deparou com duas vítimas, sendo uma mulher e um homem.

 

Priscila Fernandes, 24 anos, foi encontrada no chão, ao lado da cama, virada de barriga para cima, com um tiro na cabeça, um na mão e outro no ombro, o que leva a acreditar que ela tentou se defender. Ela ainda estava com quatro dentes arrancados, que estavam jogados pelo quarto. André Luis Chaves, 29 anos, foi encontrado virado de bruços, com um tiro na cabeça. Ambas as vítimas estavam em óbito.

 

O revolver calibre 32 usado no crime foi encontrado ao lado do corpo de André. Não havia sinais de arrombamento na residência, o que levanta a hipótese de se tratar de um crime de feminicídio com motivação passional.

 

Irmã da vítima dormia no quarto ao lado

A irmã de Priscila, C.F. de 15 anos, dormia no quarto ao lado quando o crime aconteceu. Ela ouviu os barulhos na casa e se levantou. Sem saber que os dois estavam mortos, ligou para os pais, que moram na Vila Operária, para avisar que o ex-cunhado estava dentro da casa. Os pais acionaram a polícia. Foi a PM que encontrou os corpos caídos no quarto e acionou os bombeiros.

 

Segundo a irmã, o casal viveu sete anos juntos, mas estavam há cerca de dois meses separados. André não aceitava o fim do relacionamento e já vinha fazendo ameaças de morte. Após se separarem, André, que estava desempregado, foi morar com a mãe em Caçador. Priscila alugou uma casa próximo ao seu trabalho, onde estava morando há um mês com o filho, a irmã e o cunhado.

 

Perplexos e desacreditados, amigos lamentaram as mortes nas redes sociais.

PUBLICIDADE