19/10/2019 20h46 - Atualizado em 17/10/2019 17h47

Em quatro meses após flagrante, TJ/SC confirma pena de homem por tráfico de ecstasy

Garantiu que não era traficante nem pertencia a organização criminosa

PUBLICIDADE
TJ/SC

TJ/SC

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Um homem flagrado com mais de 2,6 mil comprimidos de ecstasy na noite de 25 de maio deste ano, em Balneário Camboriú, teve seu destino selado no último dia 3 de outubro, quando a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça confirmou sentença que o condenou a cinco anos de reclusão pelo crime de tráfico de drogas. Daquela noite de sábado de maio até a manhã da primeira quinta-feira de outubro se passaram 131 dias.

 

Os primeiros 53 dias foram consumidos pelas investigações e depoimentos colhidos no respectivo inquérito policial. Em 17 de julho teve início o processo judicial, encerrado 78 dias depois com o julgamento já em 2º grau de jurisdição. O desembargador Carlos Alberto Civinski, relator da apelação, confirmou a sentença do juiz Roque Cerutti, a quem destacou também a celeridade imprimida ao feito.

 

Em atitude suspeita, parado em um posto de gasolina em Balneário Camboriú, o homem foi abordado por uma guarnição policial. Com ele nada foi encontrado mas, em seu veículo, os policiais localizaram duas sacolas com 2.666 comprimidos de cor azul e rosa, posteriormente periciados e identificados como ecstasy. O acusado contou em depoimento que havia recebido as drogas em Porto Belo e que deixaria parte em Balneário Camboriú e o restante em Brusque. Receberia pelo serviço R$ 1 mil.

 

Garantiu que não era traficante nem pertencia a organização criminosa, mas admitiu prestar serviços de “mula”, contratado para o transporte do entorpecente. Relatou que esta já era sua segunda jornada com o mesmo objetivo nos últimos meses. Seus depoimentos, antecedentes mais os elementos levantados durante a investigação policial foram suficientes para confirmar a condenação em 1º grau no TJ, em pouco mais de quatro meses (Autos n. 00043094520198240005).

PUBLICIDADE