19/11/2019 16h30 - Atualizado em 19/11/2019 16h31

Thiago Neves levanta suspeita de mala branca ao Avaí por duelo com o Cruzeiro

"Qual o motivo da comemoração?”

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

O Cruzeiro saiu de campo com mais um empate. Desta vez, a igualdade foi com o lanterna da competição, o Avaí. O resultado foi péssimo para a Raposa e pior ainda para o Avaí, que, agora, está rebaixado à Série B. A questão é que, mesmo com a queda, os jogadores do time catarinense comemoraram o resultado no Mineirão.

 

 

O fato levantou suspeitas para Thiago Neves, que admite não ter visto a atitude dos adversários em campo. Para o jogador, ficou claro que os atletas do Avaí receberam “mala branca”, ou seja, um incentivo financeiro para complicar a vida da Raposa.

 

 

Elenco do Avaí, mesmo rebaixado matematicamente, comemorou empate com o Cruzeiro nessa segunda-feira — Foto: Reprodução/SportvElenco do Avaí, mesmo rebaixado matematicamente, comemorou empate com o Cruzeiro nessa segunda-feira — Foto: Reprodução/Sportv

Elenco do Avaí, mesmo rebaixado matematicamente, comemorou empate com o Cruzeiro nessa segunda-feira — Foto: Reprodução/Sportv

 

– Eu vi, agora no vestiário, o comentário de que eles comemoraram. Só pode, né? (terem recebido incentivo). Para comemorar depois de terem sidos rebaixados, qual o motivo da comemoração? Confesso que não vi a comemoração deles, mas não vejo o porquê de os jogadores comemorarem o empate.

 

Fabrício Bruno também foi questionado sobre o assunto, mas preferiu deixar em segundo plano. Para ele, o Cruzeiro, pela camisa que tem, precisa fazer a própria parte.

 

– É difícil falar, né? Igual nosso gestor de futebol (Zezé Perrella) falou, é uma reta final de campeonato que envolve tudo com equipes concorrentes. Mas, independentemente se teve incentivo extra ou se não teve, a gente tem que fazer nossa parte. Pode acontecer de mandarem incentivo, mas aqui é Cruzeiro, a camisa é muito pesada, então a gente tem que assumir as responsabilidades, como todos vêm assumindo, buscando fazer o nosso melhor papel.

 

Apesar de não ser eticamente correta e, por isso, não ser um assunto tratado abertamente por quem paga e – menos ainda – por quem recebe, a mala branca não é proibida e nem passível de punição, já que é vista como um incentivo para vencer. A “mala preta”, que seria um investimento para que uma equipe perca o jogo, sim, gera punição.

 

 

Thiago Neves durante partida entre Cruzeiro e Avaí, no Mineirão, nessa segunda-feira — Foto: Vinnicius Silva/CruzeiroThiago Neves durante partida entre Cruzeiro e Avaí, no Mineirão, nessa segunda-feira — Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Thiago Neves durante partida entre Cruzeiro e Avaí, no Mineirão, nessa segunda-feira — Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

 

Na reta final de Brasileirão, o Cruzeiro terá mais um confronto contra equipe da parte de baixo da tabela. O duelo com o CSA será no Mineirão, pela 35ª rodada. O time ainda recebe o Palmeiras, na última rodada, e sai de Belo Horizonte para enfrentar Santos, Vasco e Grêmio.

 

Com o resultado diante do Avaí, o Cruzeiro se manteve fora da zona de rebaixamento, mas seguiu muito próximo dela. O time está em 16º, com 36 pontos, um a mais que o Fluminense, equipe que abre o Z-4.

PUBLICIDADE