19/11/2019 10h01

Luxemburgo discorda de crítica de Jorge Jesus a técnicos brasileiros: “Ele não deveria generalizar”

Treinador vascaíno comentou a declaração do comandante do Flamengo

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Após o empate com o Goiás, em São Januário, nesta segunda-feira, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico do Vasco, Vanderlei Luxemburgo, falou sobre as recentes declarações de Jorge Jesus, treinador do Flamengo, sobre as críticas que o português afirmou receber de outros técnicos brasileiros.

 

– Eu acompanhei a declaração dele. No primeiro encontro que tive com o Jesus foi num restaurante na Barra. Depois, tivemos uma reunião de todos os técnicos convidados pelo Juninho no Maracanã. Ele estava presente, sentou conosco, conversou, deu opinião. O que eu achei, vendo a declaração, é que ele generalizou. Ele colocou todos os técnicos como se todos o rejeitassem. Se ele tem alguém, que ele fale dessa pessoa. Quando ele coloca todo mundo não é correto.

 

– Não tem ninguém aqui rejeitando. O que existe é um técnico estrangeiro fazendo um bom trabalho aqui e uma parte da imprensa fazendo um enfrentamento entre nós. Não tem nada a ver com Jesus ou Sampaoli. São bons profissionais que estão aqui e são muito bem aceitos. Eu estou sempre no restaurante que o Jesus também está. Acho que ele não deveria generalizar. Se não, parece que todos estão contra ele. E isso é uma inverdade.

 

 
 

Luxemburgo Vasco Goiás — Foto: André DurãoLuxemburgo Vasco Goiás — Foto: André Durão

Luxemburgo Vasco Goiás — Foto: André Durão

 

O comandante do Vasco lembrou também de sua experiência na Espanha, quando treinou os galácticos do Real Madrid, em 2005.

 

– Por exemplo, eu fui para a Espanha. Teve um técnico espanhol que me contestou e eu discuti com ele. Acho que ele não deveria ter generalizado. Ele está muito bem aceito aqui pelos brasileiros, pela torcida dele. Ele colocou todos os técnicos brasileiros num saco. Eu vejo a gente disputando a competição. Ele tem uma grande equipe. Vamos disputar. Isso é uma rivalidade de campo. Agora, se tem algo pessoal de algum técnico, ele não poderia falar de todos os técnicos brasileiros. Ele está muito bem aceito, como o Sampaoli.

PUBLICIDADE