12/10/2017 10h20 - Atualizado em 12/10/2017 08h49

Kaká no São Paulo? O que pensa o clube e quais são as opções do ídolo

Ídolo anuncia que não vai renovar com Orlando City, mas divide opiniões no Tricolor

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Kaká não vai renovar contrato com o Orlando City, e o torcedor do São Paulo automaticamente pergunta: ele vai voltar ao Morumbi?

 

A resposta não é tão simples assim. Mas o nome é falado no Tricolor. O ídolo divide opiniões internamente, mas o fato é que Kaká avalia duas possibilidades neste momento.

 

  1. Voltar ao Brasil e jogar no São Paulo
  2. Encerrar a carreira e tirar um ano sabático

 

– É um momento muito especial da minha carreira porque realmente estou decidindo o que vai acontecer. É momento de pensar, refletir, ver o que quero para a minha vida, mas estou tranquilo na minha vida. Os planos realmente são esses: voltar ao Brasil, ficar mais um ano no Orlando e a possibilidade de encerrar a carreira – disse Kaká, ao “Esporte Espetacular”, em entrevista antes do anúncio de que não renovaria.

 

A notícia de que o atleta não ficará no Orlando City foi vista por jogadores do São Paulo na concentração em Belo Horizonte, onde a equipe enfrentará o Atlético-MG, nesta quarta-feira. Alguns mostraram entusiasmo com um possível retorno do atleta.

 

 
 

Kaká não vai renovar com Orlando City (Foto: Mark J. Rebilas/Reuters)Kaká não vai renovar com Orlando City (Foto: Mark J. Rebilas/Reuters)

Kaká não vai renovar com Orlando City (Foto: Mark J. Rebilas/Reuters)

 

No São Paulo há argumentos prós e contra o possível retorno do meia. Coincidentemente, a camisa 8, usada pelo ídolo, está vaga no elenco.

 

No clube, os contrários ao retorno do ídolo avaliam que não há mais condições de o jogador de 35 anos render em alto nível no Brasil. No entanto, não fecham as portas para uma volta como uma forma de se despedir do clube onde foi formado.

 

Os favoráveis ao retorno de Kaká argumentam que o ídolo é agregador e pode contribuir no dia a dia do São Paulo. Um líder positivo, como Lugano, por exemplo.

 

Pessoas próximas ao atleta ponderam se voltar ao São Paulo seria uma boa decisão e acreditam que a aposentadoria é mais provável neste momento. Mas não acreditam no atleta atuando em outro clube brasileiro. Ou seja: inicialmente, a única opção no Brasil é o Tricolor paulista.

 

 

Kaká retornou ao São Paulo em 2014 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)Kaká retornou ao São Paulo em 2014 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Kaká retornou ao São Paulo em 2014 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

 

A avaliação técnica do atleta, aliás, foi um dos fatores pesados pelo próprio City para decidir sobre a não renovação. O jogador ajudou a divulgar a imagem do clube americano nos primeiros anos e a prorrogação levaria em conta o retorno técnico como fator importante. Em conjunto, Kaká e o clube americano decidiram terminar o ciclo.

 

No São Paulo, dirigentes também citam a necessidade de se ter cuidado para não desgastar a imagem de outro ídolo.

 

Rogério Ceni, técnico demitido em julho, teve atrito com o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, depois de sair. Além disso, o arrastado processo de renovação do contrato de Lugano desgastou o uruguaio no clube e gerou polêmica.

 

Leco, aliás, gosta de Kaká e foi em 2014 um dos entusiastas do retorno ao Morumbi. O técnico Dorival Júnior, por sua vez, disse o seguinte:

 

– Assim sobre o Kaká: vi as declarações dele e tem uma história muito bonita no clube. Mas só pensaremos nessas situações depois que sairmos da situação em que estamos. Anterior a isso, não temos a mínima condição de tentar planejar o ano seguinte.

 

Raí, Kaká e Rogério Ceni no São Paulo, em 2016 (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)Raí, Kaká e Rogério Ceni no São Paulo, em 2016 (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)

Raí, Kaká e Rogério Ceni no São Paulo, em 2016 (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)

 

Os planos Kaká

Parando de jogar agora ou mais para frente, o atleta quer tirar um ano para descansar depois da aposentadoria. O meia não sabe qual será o passo seguinte na vida, mas pensa em fazer cursos para ampliar sua visão de futebol, hoje restrita à de um jogador.

 

– A princípio seria um ano sabático no curto prazo. Depois gostaria de voltar a estudar, fazer alguns cursos. Gostaria de fazer curso de treinador, não porque quero ser treinador, mas para ter visão de como seria. Fazer curso de diretor esportivo, ter uma visão maior, mais ampla com relação ao futebol – disse o meia.

 

Ou seja, tomando como exemplo as decisões de Rogério Ceni e Zinedine Zidane, atual técnico do Real Madrid, Kaká é mais alinhado à postura do francês, que parou por um tempo, estudou e começou a carreira de treinador na base.

 

Revelado no São Paulo, jogou profissionalmente no Tricolor de 2001 a 2003. Depois atuou por Milan, Real Madrid, Milan novamente e retornou ao Morumbi em 2014, quando foi vice-campeão brasileiro. Ele foi o último jogador brasileiro eleito melhor do mundo pela Fifa, em 2007, antes da sequência de Cristiano Ronaldo e Messi.

PUBLICIDADE