27/01/2017 10h20 - Atualizado em 27/01/2017 08h31

Família de Kevin não recebeu dinheiro de amistoso

Garoto boliviano morreu em 2013 após ser atingido por sinalizador

PUBLICIDADE
Band

Band

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Em abril de 2013, Brasil e Bolívia jogaram um amistoso e parte da renda deveria ser destinada para a família do jovem Kevin Espada, que morreu após ser atingido por um sinalizador lançado por integrantes da torcida organizada do Corinthians durante partida da Copa Libertadores, em Oruro. Porém, até hoje, parte do dinheiro do jogo, cerca de R$ 200 mil, não foi repassado à família, como revelou Limbert Beltrán Espada, pai do jovem de 14 anos, a Rádio Bandeirantes na noite desta quinta-feira.

 

“Ninguém ajudou, a renda do jogo entre Brasil e Bolívia era para ir para minha família, mas até agora não recebemos nada”, contou Limbert.

 

O pai do garoto revelou que tentou entrar com um advogado na Justiça para ter esse dinheiro, mas não foi suficiente: “Tentei entrar com advogado para requerer a verba, porém não obtive sucesso.”

 

Segundo investigação do Ministério Público da Bolívia, o ex-presidente da Federação Boliviana de Futebol (FBF), Carlos Chávez, teria sido favorecido com um esquema de corrupção que desviou o valor que deveria ser destinado aos familiares pelo amistoso.

 

Mesmo com a falta do dinheiro, o pai de Kevin diz que um dos maiores sofrimentos da família é não ver os culpados do crime presos. Os corintianos responsáveis pela morte do garoto chegaram a ser detidos na Bolívia, mas foram liberados.

 

Entenda o caso

Kevin Espada morreu após ser atingido por um sinalizador. Foto: Reprodução/Facebook

 

 

Em 20 de fevereiro de 2013, Corinthians e San José disputavam o primeiro jogo do Grupo 5 da Copa Libertadores, em Oruro. No segundo tempo, 12 integrantes de uma torcida organizada do Corinthians dispararam um sinalizador contra torcedores bolivianos. O jovem Kevin Espada acabou atingido no rosto pelo artefato e morreu.

 

Alguns membros da torcida chegaram a ficar presos na Bolívia, mas pouco tempo depois foram soltos. A Confederação Brasileira de Futebol marcou um amistoso contra a Bolívia em abril do mesmo ano com o objetivo de arrecadar fundos para a família de Kevin, porém até agora o dinheiro nunca foi visto.

PUBLICIDADE