22/02/2019 17h00 - Atualizado em 22/02/2019 14h35

Em entrevista, pai de Neymar defende o filho das críticas: “Como atleta, ele não é mimado”

Ao programa "Grande Círculo", empresário do craque diz que ele não vive em uma bolha

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Neymar da Silva Santos, o Neymar Pai, foi o entrevistado do mês de fevereiro do programa “Grande Círculo”, que vai ao ar neste sábado, às 22h30, no SporTV. O responsável pela carreira do jogador mais caro do mundo – por quem o PSG pagou 222 milhões de euros em 2017 – foi sabatinado pelo apresentador Milton Leite e por uma bancada formada por Marcelo Canellas, Mauro Naves, Casagrande, Pedro Bial, Tino Marcos e Marcelo Barreto.

 

Neymar falou sobre as críticas que seu filho recebeu durante e depois da Copa do Mundo, defendeu a legalidade das operações que resultaram em processos no Brasil e na Espanha, explicou os motivos que levaram Neymar (o filho) a trocar o Barcelona pelo PSG. E, sobretudo, defendeu seu filho do comentário formulado por Casagrande, para quem Neymar seria “mimado”.

 

 

– Quando as coisas são faladas repentinamente, várias vezes, ainda mais por alguém do seu tamanho e de uma emissora como a Globo, isso pode começar a virar uma verdade. Era um momento de você chegar e falar, pô, freia, segura – declarou o pai de Neymar.

 

Casagrande então respondeu que havia feito o comentário no programa “Redação SporTV”, e que outras pessoas e veículos então repercutiram. Neymar pai então continuou:

 

– Seu comentário foi muito pessoal, né? Não foi pertinente o comentário. Por mais que você quisesse colocar o Neymar em uma posição de mimado, não era pertinente, você tinha que falar desportivamente. É natural que um filho seja protegido pelos pais. Você mesmo falou o que é a palavra mimado, eu aceito. Se ele é protegido pelos pais, amém. A posição de mimado desportivamente não é nada pertinente. […] O atleta não é mimado. Não tem treinador passando a mão na cabeça dele. É um dos caras que mais treinam, tem muita responsabilidade profissional, ele está em todos os campeonatos que exigem, não foge de nada. Então a minha resposta… Se eu te falei alguma coisa, desculpa aqui agora, mas não foi pertinente.

 

 
 

Neymar após sofrer lesão pelo PSG — Foto: ReutersNeymar após sofrer lesão pelo PSG — Foto: Reuters

Neymar após sofrer lesão pelo PSG — Foto: Reuters

 

O pai de Neymar voltou a explicar os motivos pelos quais orientou o filho a evitar os choques contra seus marcadores – e que ele não faz isso para simular ou enganar árbitros, mas para se proteger de lesões, como a que sofreu no início deste ano e o tirou dos gramados por dois meses e meio.

 

– Eu falei para ele, toda dividida que você entrar você vai perder. Se você ver que vai receber o choque, que esteja projetado no ar […] Eu estou falando para ele “ei, você tem que jogar seu futebol. Você caindo você já levou o Brasil na Olimpíada, foi campeão da Champions com o Barcelona. Não mude.” […] Isso é responsabilidade da arbitragem, não é uma discussão nossa. Não estou criticando quem fala que ele é cai-cai ou não, estou falando que a arbitragem tem que ter entendimento para poder coibir certas coisas, saber se é ou não simulação.

 

Ao ser questionado pelo repórter Tino Marcos se não estaria confinando Neymar em uma bolha, o entrevistado do “Grande Círculo” respondeu:

 

– Não. Estou dando estrutura para ele. Não confunda mimar com estrutura. Não tem escudo. Meu filho joga toda quarta e domingo. Que escudo? Não, ele vive a vida dele, ele está livre. Ele não mora na casa dos pais dele, ele tem a dele, tem os amigos dele.

PUBLICIDADE