13/06/2018 11h25 - Atualizado em 13/06/2018 11h28

Como superar o seu ex, de acordo com a ciência

Superar um relacionamento pode depender da forma que você enxerga o antigo parceiro

PUBLICIDADE
Portal Minha Vida

Portal Minha Vida

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Terminar um relacionamento é um acontecimento doloroso na vida da maioria das pessoas. As boas lembranças, a presença da pessoa amada e os planos para o futuro são perdidos, e até conseguirmos virar a página, devemos percorrer por um longo caminho, que envolve o desenvolvimento da resiliência e da longanimidade. Porém, segundo um estudo publicado pelo periódico Experimental Psychology, a forma como encaramos o término e a pessoa com quem estivemos, pode fazer toda a diferença para uma recuperação mais rápida.

 

 

Sandra Langeslag, autora do estudo e professora de psicologia na Universidade do Missouri, trabalhou com uma equipe de pesquisa para analisar quais métodos para superar o ex gerariam uma melhor resposta. Após a pesquisa, a psicóloga indicou que escrever uma lista diariamente com os defeitos de seu ex-namorado pode trazer uma melhor elucidação dos motivos pelos quais o relacionamento não deu certo, trazendo um aumento na sensação de bem estar.

 

 

Como o estudo foi feito

Foram analisados 24 participantes, com idades entre 20 e 37 anos, que tiveram longos relacionamentos terminados. A duração média destes relacionamentos era de dois anos e meio. Alguns dos participantes tomaram a atitude de dar um fim ao namoro, enquanto outros receberam a notícia do término pelo parceiro. De qualquer forma, todos eles ainda tinham sentimentos mal resolvidos pelos seus antigos amores.

 

Os participantes do estudo foram separados em quatro grupos, e receberam orientação para lidar com o término do relacionamento de formas diferentes. O primeiro grupo foi orientado a pensar coisas negativas sobre seus ex-namorados, enquanto o segundo precisava pensar apenas coisas positivas sobre eles.

 

 

O terceiro grupo focou em pensar sobre coisas positivas que não tinham relação com seus ex-namorados, enquanto o quarto foi instruído a não pensar sobre nada em particular. Logo após, os pesquisadores mostraram fotos dos ex-namorados aos participantes, e mediram a intensidade das respostas emocionais deles através de eletrodos e questionários.

 

 

Resultados

Os participantes que pensaram coisas negativas sobre seus ex-namorados, afirmaram sentir menos amor por eles. Porém, eles também foram os únicos a reportarem que estavam sentindo-se mais tristes após as pesquisas, do que no início do experimento.

 

 

Quem pensou em coisas positivas que não estavam relacionadas aos seus antigos relacionamentos, relatou um aumento na sensação de bem estar, porém, mantiveram suas respostas emocionais frente às fotos dos ex-namorados inalteradas.

 

Conclusão

A autora do estudo, em entrevista à revista Time, afirmou que todas essas estratégias serviam como soluções à curto-prazo para um problema que necessita de tempo para ser resolvido. “A regulação de nossos sentimentos amorosos não pode ser controlada através de um botão que podemos desligar ou ligar a qualquer hora”, afirma a especialista.

 

Segundo Sandra, mudanças profundas só acontecem caso mantivermos o hábito de refletir sobre nossos problemas diariamente. Portanto, escrever uma lista com os defeitos do ex no dia a dia pode ser uma solução com efeitos a longo prazo. No início, você se sentirá mal ao fazer isto. Porém, após um tempo de prática, irá se sentir mais feliz.

PUBLICIDADE