15/01/2021 16h21

Três mil filtros para respiradores serão comprados pelo Governo de SC

Conforme edital, aquisição se justifica em função da crescente demanda de pacientes com Covid-19; compra dos equipamentos está orçada em R$ 114.270 mil

PUBLICIDADE
Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina abriu licitação para a compra de três mil filtros para respiradores (Foto: Divulgação/ND)

Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina abriu licitação para a compra de três mil filtros para respiradores (Foto: Divulgação/ND)

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Três mil filtros para respiradores utilizados no tratamento da Covid-19 serão comprados através de licitação pelo governo de Santa Catarina, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. A aquisição está orçada em R$ 114.270 mil.

 

O ato foi publicado no DOE (Diário Oficial do Estado) na última sexta-feira (8). O compromisso será firmado por meio de Ata de Registro de Preço e a estimativa de consumo é de 12 meses.

 

A abertura da sessão foi realizada nesta sexta-feira (15). Os itens, que atenderão as unidades hospitalares, irão para a Geber (Gerência de Bens Regulares), que é o almoxarifado central da Secretária de Estado da Saúde.

 

Para que serve?

 

De acordo com o edital, o filtro bacterial (tipo HEPA) é indicado para a proteção do paciente em utilização de ventilação mecânica.

 

O equipamento evita complicações relacionadas à infecção cruzada decorrente de microorganismos eventualmente hospedados no ventilador mecânico.

 

O filtro é constituído de uma membrana que forma uma barreira que retém partículas de umidade presente nos gases e que podem conter bactérias e/ou vírus.

 

“O item é de essencial importância para o enfrentamento da pandemia de coronavírus, no sentido de manter equipadas as Unidades Hospitalares para pleno atendimento à população, bem como situação de Emergência declarada conforme Decreto nº 515, de 17 de março de 2020.”, informa o edital.

 

O uso desse tipo de equipamento é recomendado para pacientes com suspeita ou confirmados com Covid-19 e pacientes submetidos à intubação e ventilação mecânica, tanto no atendimento primário quanto no transporte.

 

A informação consta em nota técnica da Secretária de Estado da Saúde, datada de 25 de maio de 2020.

 

Demanda crescente

 

Ainda conforme o documento, a aquisição se justifica em função da crescente necessidade de uso de respiradores e porque não há previsão de término dessa demanda. Sendo assim, “entende-se mais apropriado fazer um registro de preço para uma ARP”, informa o edital.

 

O documento diz que as quantidades licitadas e informadas são estimativas, ou seja, o Estado poderá requisitar quantidades maiores ou menores, conforme a necessidade, respeitando os limites estabelecidos pela legislação.

 

Os equipamentos deverão ficar à disposição da unidade enquanto houver estoque dos insumos relacionados.

 

SES diz que não houve desabastecimento

 

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que existem três tipos de filtros destinados para o uso em respiradores artificiais.

 

“A SES utiliza tais equipamentos do tipo HEPA, HMEF ou HME com filtragem para vírus, segundo os parâmetros definidos pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), órgão máximo em terapia intensiva no país.”, disse a Secretaria, por meio da assessoria de comunicação.

 

A SES disse ainda que a licitação se refere a apenas um tipo de filtro e ressalta que “nunca houve qualquer tipo de desabastecimento do produto nas unidades hospitalares”.

 

Infecção hospitalar associada ao uso de respiradores

 

Reportagem do ND+ publicada em outubro mostrou que o número de casos de infecção hospitalar associada ao uso de respiradores mecânicos cresceu mais de 50% nos meses de julho e agosto nas unidades de saúde de Santa Catarina.

 

O crescimento coincide com os meses em que os leitos de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) apresentaram pico de lotação no Estado.

 

Em julho foram registrados 205 casos de pneumonia bacteriana, um aumento de 51% comparado ao mesmo mês do ano anterior, quando 135 casos foram registrados. Em agosto foram 207, aumento de 54% na relação com 2019, com 134 notificações.

 

Os números integram os relatórios dos protocolos de segurança hospitalar que são remetidos mensalmente à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e foram fornecidos ao Grupo ND pela SES.


POR: BRUNA STROISCH – ND+

Participe de um dos nossos grupos no WhatsApp e receba diariamente as principais notícias do Portal da Educadora. É só clicar aqui.

PUBLICIDADE