22/09/2021 14h41

Secretaria de Estado da Educação emite nota após afastamento de professor do Alto Vale que trocava mensagens pornográficas com alunos

Investigação identificou pelo menos oito vítimas entre adolescentes de 15 a 17 anos, mas polícia acredita que pode haver mais

PUBLICIDADE
Assistência Familiar Alto Vale
PUBLICIDADE

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

CLIQUE AQUI

 

Um professor de artes foi indiciado pela Polícia Civil por armazenar e trocar mensagens com fotos pornográficas com alunos adolescentes no Alto Vale. O caso foi noticiado pela Rádio Educadora na última sexta-feira (17) e passou a ser investigado depois que a mãe de um dos estudantes procurou a Polícia Civil da cidade de Laurentino para denunciar o caso após o filho revelar a situação. Um segunda denúncia feita pelo Conselho Tutelar da cidade, que também tomou conhecimento da situação pelo contato de uma mãe.

 

De acordo com informações da delegada Flávia Rigoni Gonçalves, responsável pelas investigações, o professor, um homem de 36 anos, dava aulas em escolas da rede estadual e trocava mensagens de cunho sexual com alunos de idades entre 15 e 17 anos. Nas mensagens, segundo a delegada, o homem chegou a enviar fotos de partes íntimas do corpo e pedia que os meninos também enviassem fotos do órgão sexual.

 

O homem foi afastado das atividades em sala de aula por determinação da justiça e aguarda o andamento do processo em liberdade.

 

Apuração

 

Durante as investigações a polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do homem, onde foram apreendidos o celular, um pen drive e o computador do professor. Durante a operação, o próprio investigado autorizou a polícia a verificar o celular – onde foram encontradas mensagens e fotos dos alunos. Mesmo assim, os equipamentos foram mandados para a perícia.

 

Segundo a delegada, foram identificados pelo menos oito adolescentes que teriam sido vítimas do homem, mas ela acredita que haja mais vítimas não identificadas, uma vez que o celular continha muitas mensagens para muitos contatos diferentes. Conforme Gonçalves, todos os casos que são investigados no Inquérito Policial teriam ocorrido em Laurentino, porém a polícia ainda apura informações de que ele daria aulas em Rio do Sul e em Rio do Oeste.

 

O professor foi indiciado pelo artigo 241 B do Estatuto da Criança e do Adolescente, que classifica como crime “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente”. A pena varia de um a quatro anos de reclusão.

 

Estado afastou professor na primeira denúncia

 

A SED (Secretaria de Estado de Educação) confirmou o caso em nota oficial e destacou que o professor está afastado das funções desde o dia 8 de setembro, quando a escola foi informada das denúncias.

 

Também foi acionado o NEPRE (Núcleo de Política de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências na Escola) e professores substitutos foram contratados.

 

Leia a nota da SED na íntegra:

 

“Esclarecimento sobre o afastamento de um professor da rede estadual de ensino

 

A Secretaria de Estado da Educação (SED) confirma que um professor da rede que atua na região do Alto Vale do Itajaí foi afastado por suspeita de cometimento de abuso sexual. O afastamento ocorreu no último dia 8 de setembro, assim que a escola tomou conhecimento do caso e fez denúncia ao Conselho Tutelar. O professor é investigado e o processo corre em segredo de Justiça.

 

O Núcleo de Política de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências na Escola (NEPRE) que atua nas unidades onde o professor trabalhava foi acionado e toma as providências cabíveis quanto ao caso. A contratação de substitutos foi solicitada e parte das turmas já é atendida normalmente.”


FONTE: ND+

SIGA AS REDES SOCIAIS DA RÁDIO EDUCADORA: INSTAGRAMFACEBOOK YOUTUBE.
PUBLICIDADE