12/01/2021 09h30

Santa Catarina tem 11 cidades em situação de epidemia de dengue; confira quais são

No período de 29 de dezembro de 2019 a 02 de janeiro de 2021, foram identificados 40.371 focos da dengue em 195 municípios

PUBLICIDADE
Foto: Rodrigo Nunes / Ministério da Saúde

Foto: Rodrigo Nunes / Ministério da Saúde

PUBLICIDADE
Delta Ativa

De acordo com o último boletim epidemiológico da dengue, divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), nesta segunda-feira (11), a epidemia do Aedes aegypti atinge 11 cidades de Santa Catarina.

 

No período de 29 de dezembro de 2019 a 02 de janeiro de 2021, em relação à situação entomológica, até a SE nº 53/2020, são 103 municípios considerados infestados, o que representa um incremento de 6,2% em relação ao mesmo período de 2019, que registrou 97 municípios nessa condição. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

 

No total, foram identificados 40.371 focos do mosquito Aedes aegypti em 195 municípios. Comparando ao mesmo período de 2019, quando foram identificados 30.029 focos em 188 municípios, houve um aumento de 34% no número de focos detectados.

 

O município de Joinville apresenta o maior número de transmissões dentro do Estado (8.692), o que representa praticamente 79,5% do total no ano de 2020, e a taxa de incidência é de 1.472,1 casos por 100 mil/hab. Além de Joinville, os municípios em epidemia de dengue são: Águas de Chapecó, Bombinhas, Caibi, Coronel Freitas, Formosa do Sul, Maravilha, Navegantes, São Carlos, São Miguel do Oeste e Tijucas.

 

> Orientações da Dive para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

 

  •       evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
  •       guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  •       mantenha lixeiras tampadas;
  •       deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  •       plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  •       trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  •       mantenha ralos fechados e desentupidos;
  •       lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
  •       retire a água acumulada em lajes;
  •       dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
  •       mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
  •       evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
  •       denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
  •       caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.

FONTE: SCC10

Participe de um dos nossos grupos no WhatsApp e receba diariamente as principais notícias do Portal da Educadora. É só clicar aqui.

PUBLICIDADE