21/09/2020 16h46 - Atualizado em 21/09/2020 16h47

Peninha quer reduzir conta de luz para pacientes que precisam de tratamento domiciliar

Proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados, em Brasília

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

Uma proposta em tramitação na Câmara dos Deputados, em Brasília, pretende aliviar a carga das famílias que têm, entre seus membros, portadores de doenças que precisam de tratamento com a utilização contínua de aparelhos conectados à energia elétrica. O projeto, que tem como coautor o deputado federal Rogério Peninha (MDB/SC), estende o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica para estes pacientes, chamados eletrodependentes.
O PL 4649/20 também tem autoria de outros parlamentares, dentre eles os catarinenses Coronel Armando (PSL), Carlos Chiodini (MDB) e Carmem Zanotto (Cidadania).

 

Embora tenham recebido alta hospitalar, o tratamento domiciliar com o uso de aparelhos e equipamentos elétricos é uma questão vital para os pacientes de que trata o projeto. “Para estas famílias, a conta de luz não é só mais uma das despesas. Ela representa grande parte dos gastos mensais, e é uma questão de vida ou morte”, explica Peninha.

 

O desconto

 

A Tarifa Social de Energia Elétrica é um benefício oferecido pelo governo federal a famílias de baixa renda que possibilita descontos de 10% até 100% na conta de luz, dependendo do consumo. Além disso, no caso dos eletrodependentes, o projeto de lei pretende derrubar o pré-requisito da renda máxima de 3 salários mínimos, para conseguir abranger mais famílias.

 

O parlamentar ressalta que, nestes casos, há duas pessoas com renda comprometida na família: o paciente e mais um familiar que o acompanha diariamente. “Sem contar os custos com remédios e profissionais, como fisioterapeuta. Estas famílias precisam de um auxílio, vamos trabalhar pela aprovação da proposta”, finaliza Peninha.

 

FONTE: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

 

Participe de um dos nossos grupos no WhatsApp e receba diariamente as principais notícias do Portal da Educadora. É só clicar aqui.

PUBLICIDADE