12/05/2020 17h33

Grupo que traficava drogas é condenado em Presidente Getúlio

Penas individuais vão de 10 a 22 anos de prisão, de acordo com a participação de cada um dos 11 réus nos crimes

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de 11 integrantes de um grupo criminoso que traficava drogas em Presidente Getúlio, na região do alto vale do Itajaí. As penas variam de 22 anos e dois meses de prisão, aplicadas aos líderes da organização, a 10 anos de prisão.

 

A denúncia foi apresentada pela Promotoria de Justiça de Presidente Getúlio, que no curso do processo penal representou pela prisão preventiva dos envolvidos, pedido deferido pelo Juízo da Comarca. Ainda presos preventivamente – duas das rés em prisão domiciliar e os demais no sistema penitenciário -, eles não poderão recorrer da sentença em liberdade.

 

A investigação que deu embasamento à denúncia foi desenvolvida em 2019 pela Promotoria de Justiça em parceria com a Agência de Inteligência do 13º Batalhão da Polícia Militar, a partir do surgimento do nome do líder do grupo, Gean Paiva Guapiano, em outra apuração que estava em curso no Município de Ibirama.

 

A partir daí, as investigações permitiram a identificação de 12 integrantes da associação criminosa que agia no tráfico de drogas em Presidente Getúlio. Todos foram denunciados na mesma ação, mas um deles não foi encontrado para ser citado e a ação foi cindida em relação a ele, a fim de garantir a celeridade do processo penal em relação ao julgamento dos demais.

 

Os onze integrantes julgados agora foram condenados pelos crimes de associação para o tráfico e tráfico de drogas. Gean Paiva Guapiano, Vítor Ferreira, Diego Meneghelli, principais lideranças do grupo, foram condenados também pelo crime de organização criminosa.

 

Além das penas de prisão. Os réus foram condenados ao pagamento de 21.814 dias-multa, sendo que cada dia-multa corresponde a 1/30 do valor do salário-mínimo na época dos fatos, o que totaliza cerca de R$ 725 mil. A decisão é passível de recurso.

 

Veja as penas de cada um dos réus:

 

  • Gean Paiva Guapiano: 22 anos e 2 meses de reclusão e 2.111 dias-multa
  • Diego Meneghelli: 22 anos e 2 meses de reclusão e 2.012 dias-multa
  • Roberton Luiz Cardoso: 16 anos e 4 meses de reclusão e 2.097 dias-multa
  • Viviane Aparecida Frare: 14 anos de reclusão e 2.097 dias-multa
  • André Luis Gonçalves Marafigo de Souza: 14 anos de reclusão e 2.097 dias-multa
  • Vitor Ferreira: 13 anos, 10 meses e 7 dias de reclusão e 2.111 dias-multa
  • Ana Paula Eger Hinkel: 12 anos de reclusão e 1.798 dias-multa
  • Gisele Baldoino de Souza: 12 anos de reclusão e 1.798 dias-multa
  • Daniel Jacó Stinghen: 12 anos de reclusão e 1.798 dias-multa
  • Paulo Júnior dos Santos Rodrigues: 11 anos e 8 meses de reclusão e 2.097 dias-multa
  • Sara Cristina Borges: 10 anos de reclusão e 1.798 dias-multa

 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC
 
PUBLICIDADE