01/12/2020 14h35

“Foi o maior roubo, o de maiores proporções, já acontecido em SC” afirma delegado da Deic

O governador do Estado afirmou que Criciúma passou por mais um caso de violência extrema, entretanto, destacou que não haviam indícios da realização da ação

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

Durante a coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (01), em Criciúma, diversas lideranças policias e dos governos estadual e municipal destacaram a necessidade de uma investigação rigorosa da ação criminosa na cidade. A coletiva foi organizada para esclarecer o assalto à agência bancária e estiveram presentes o governador Carlos Moisés, o Diretor-Geral do IGP/SC, Giovani Eduardo Adriano, o Presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e Delegado Geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Paulo Koerich, e o delegado Anselmo Cruz, da Divisão Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic/SC).

 

O governador do Estado afirmou que Criciúma passou por mais um caso de violência extrema, entretanto, destacou que não haviam indícios da realização da ação. Ainda expôs a necessidade de colocar os órgãos estaduais a disposição. “Todo o Brasil está com o olhar voltado para Santa Catarina, os números do Estado não combinam com essa ação marginal, nossa esperança é que o Estado dê uma resposta”, afirmou o governador.

 

O delegado Anselmo Cruz afirmou que logo que após o inicio do assalto, foi realizado um plano de contingência.

 

“O assalto durou cerca de 1h50, 2h. Nós acompanhamos e aguardamos reforço e não tivemos confronto naquela área para preservar vidas.”, afirmou.

 

O policial ainda destacou que ao amanhecer, e logo após a localização dos veículos, passaram a ser levantadas informações relacionadas à rota de fuga dos criminosos. “Impressiona por ser em uma cidade de grande porte, normalmente as ações do “novo cangaço” ocorre em cidades menores”, destacou.

 

Armas com alto poder de fogo

 

Cruz afirma que os criminosos portavam armas de alto poder de fogo, capazes de furar blindados “Hoje Criciúma é a cidade mais segura do Estado. Foi o maior roubo, o de maiores proporções, já acontecido em Santa Catarina. A mobilização dos criminosos nessa madrugada se tornou algo inédito aqui”.

 

O delegado Paulo Koierich, destacou:

 

“A ação chama a atenção pela violência. As forças policiais não toleram esse tipo de ação. Podem confiar nas forças policiais, no sistema de segurança pública. Não iremos medir esforço e vamos prender os que cometeram esse crime em Santa Catarina”, finalizou.

 

Após o roubo, a polícia localizou e prendeu em flagrante quatro homens dentro de uma residência. Eles estavam de posse de cerca de R$ 810 mil. Ainda não se sabe se eles se aproveitaram do dinheiro espalhado ou foram cúmplices da ação

 

Policial baleado

 

O policial Gerson Esmeraldino, de 36 anos, baleado durante a ação criminosa, realizou na manhã desta terça, o terceiro procedimento cirúrgico. O policial, recém formado, está em estado grave. Durante a coletiva o governador prestou apoio à família “Quero me solidarizar com à familia do soldado, esses profissionais que trabalham durante a noite são nossos heróis anônimos”, afirmou Moisés.

 

FONTE: SCC10

 
 
 
PUBLICIDADE