09/03/2020 13h47 - Atualizado em 09/03/2020 14h17

Ex-secretário Jardel Fronza (PSD) se manifesta após operação do DEIC em escola de Taió

Segundo a investigação, o valor do contrato firmado com o Estado de Santa Catarina é de R$ 3.341.274,74, e a empresa teria recebido aproximadamente R$ 3.229.119,50

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Combate a Corrupção (DECOR) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), em conjunto com a Controladoria Geral do Estado, deflagrou nesta sexta-feira (06) uma operação em Rio do Sul, Ibirama e Agronômica.

 

Trata-se de Inquérito Policial instaurado com base em informações repassadas pela Controladoria Geral do Estado que apurou suspeitas de fraudes em contrato formalizado entre a Secretaria de Estado da Educação e uma construtora para reforma de uma escola, em Taió.

 

Segundo a investigação, o valor do contrato firmado com o Estado de Santa Catarina é de R$ 3.341.274,74, e a empresa teria recebido aproximadamente R$ 3.229.119,50, todavia constatou-se que apenas 56,37% da obra foi executada, o que corresponde ao valor de R$ 1.820.241,45 de serviços medidos e não realizados.

 

EX-SECRETÁRIO JARDEL FRONZA EMITE NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

O Senhor Jardel Fronza, Ex-Secretário Executivo da ADR de Taió, vem através desta nota esclarecer algumas questões relacionadas às notícias vinculadas na imprensa regional sobre operação do DEIC referente a liberação de recursos indevidos para o pagamento da Empreiteira que realizou obras parciais na E.E.B. Leopoldo Jacobsen de Taió, após firmar o Contrato nº 120/2017, com o Estado de Santa Catarina.

 

– Sobre a referida notícia, esclarecer que na minha gestão como Secretário Executivo, determinei que a equipe de trabalho realizasse os procedimentos licitatórios com transparência e nos termos da lei. Em seguida fora assinado o contrato administrativo com a empresa vencedora e a assinatura da ordem de serviço para execução do objeto licitado.

 

– Esclarecer que a Agência de Desenvolvimento Regional de Taió foi desativada no final do mês de fevereiro de 2018, por ordem do então Governador Eduardo Pinho Moreira. A partir da referida data, todos os compromissos contratuais da ADR de Taió foram transferidas para ADR de Rio do Sul.

 

– Que fiquei na condição de Secretário Executivo no período entre 01/04/2016 e 01/03/2018.

 

– Os pagamentos realizados a empreiteira contratada foram efetuados após desativação da ADR de Taió.

 

– Destacar que a investigação não mencionou em nenhum momento o meu nome, visto que não cometi qualquer ato contrário a lei e aos interesses públicos.

 

– Por fim, fico a disposição para qualquer outro esclarecimento que entenderem necessário.

PUBLICIDADE