03/08/2020 16h19 - Atualizado em 03/08/2020 16h20

Jorge Jesus é apresentado no Benfica e se emociona ao falar do Flamengo: “Vim ganhar menos dinheiro”

Mister diz que não é o salvador, afirma que foi convencido de projeto continental por presidente e pede união da torcida: "Cheguei de um grande clube, que se uniu"

PUBLICIDADE
Fonte: Globo Esporte

Fonte: Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Mais de 10 dias depois de se despedir do Flamengo e voltar para Portugal, o técnico Jorge Jesus foi apresentado como novo comandante do Benfica nesta segunda-feira. O Mister participou de uma cerimônia no Benfica Campus, ao lado de membros da diretoria e ex-jogadores, como o goleiro Julio Cesar. E garantiu que decidiu deixar o Brasil por acreditar no projeto oferecido pelo presidente Luis Filipe Vieira, com ambições continentais – dizendo que foi para o Benfica para ganhar menos dinheiro do que no Flamengo.

 

– Não vim para o Benfica para me reformar. O presidente me ofereceu quatro anos de contrato. Eu disse que não queria, queria um, ele disse pelo menos dois. Eu disse: “Fazemos dois anos”. Não vim para melhor meu contrato salarial, para vim ganhar menos dinheiro que ganhava no Flamengo. Vim para o Benfica porque acredito em um projeto, porque acredito que essa nação tem todas as condições de fazer o Benfica grande, recuperar o prestígio internacional que teve durante muitos anos – disse o técnico em seu pronunciamento inicial.

 

Jorge Jesus terá contrato de dois anos com o Benfica, válido até o meio de 2022. Esta será a sua segunda passagem pelo clube luso, onde ganhou projeção continental e teve um de seus períodos mais vitoriosos da carreira, entre 2009 e 2015, conquistando três títulos portugueses, além de seis troféus de copas nacionais.

 

O Mister agradeceu a Luis Filipe Vieira pela confiança e disse que também tem fé no presidente e em seu projeto. O treinador afirmou que “está habituado em ganhar” e foi para o clube para isto, e também para “unir a nação benfiquista”. Para pedir união à torcida, o Mister fez questão de falar do Flamengo na apresentação e se emocionou.

 

– Não sou o salvador. Salvador seremos todos os benfiquistas. É importante pensarmos… Perdoem se vou falar de onde cheguei. Cheguei de um grande clube, também, de um grande clube que se uniu em volta de seu treinador, de seu time, e por isso que ganhamos grandes títulos internacionais.

 

E falo do Flamengo para agradecer do fundo do meu coração a forma como me trataram, a amizade e o amor que tiveram por mim. E agora pensem: o Flamengo tem 50 milhões de torcedores. Para vir para o Benfica, teve que ter haver uma causa muito grande. E eu vim, estou aqui para voltar a ganhar, com este presidente e todos os benfiquistas unidos.”

 

O presidente Luis Filipe Vieira abriu a cerimônia e afirmou que o Benfica tem, sim, ambições de títulos europeus.

 

– Jorge, temos que te dizer que iremos fazer tudo que esteja ao nosso alcance para que a família Benfica seja feliz nos próximos anos. Queremos dizer que esperamos voltar a ter hegemonia no futebol português e queremos ganhar na Europa. Esse é o nosso sonho. Conte comigo e com todos os benfiquistas – disse o presidente do clube, Luis Filipe Vieira, responsável pelo retorno do treinador.

 

Confira outras declarações de Jorge Jesus em entrevista coletiva

 

“Vamos jogar o triplo”


– Como não direi que o Benfica tem que jogar o dobro? Porque se não ganhar o dobro, voltamos a não ganhar. Foi o que aconteceu esse ano. Temos condições de fazer um time muito forte. Toda a estrutura, eu divido em duas partes, clube e futebol, tudo isso é um todo. E a estrutura do futebol vai reunir leque de jogadores como os que aqui estão. Vamos fazer uma grande equipe e não vamos jogar o dobro, vamos jogar o triplo.

 

Perguntas sobre o passado


– O mais importante aqui é colocar perguntas do presente e do futuro. O passado, como costumamos dizer, é museu. O passado é isso, 10 títulos. Aquilo que confirma meu trabalho no Benfica. O que importa é o presente e o futuro. Com esses indicadores, podem fazer as perguntas que quiserem sobre o treinador e o futebol.

 

Técnico terá contrato de dois anos com o clube português — Foto: Efe

Técnico terá contrato de dois anos com o clube português — Foto: Efe

 

Aposta na base


– Todos os clubes em Portugal têm que fazer apostas na formação, porque são clubes vendedores. E o Benfica nesses últimos anos tem sido exemplo de ter ao menos um jogador, como o Joao (Félix). As equipes portuguesas, como são vendedoras, têm que continuar a formar jogadores. Mas se vende os melhores jogadores portugueses, como quer ter um bom time. O Benfica vai voltar a uma política que teve comigo, formação e procura de novos jogadores fora de Portugal. Foi a ideia que nos levou a várias conquistas.

 

Desafio esportivo no Benfica


– Não foi fácil, só uma pessoa e um clube poderiam me tirar do Brasil. E o presidente me convenceu a voltar a Portugal. Eu gosto de desafios difíceis. Este é um grande clube, quem trabalha sabe que é um desafio difícil, mas motivador, que tem capacidade estrutural para os objetivos que a grandiosidade desse clube exige. Para sair de onde saí, onde me amavam, me adoravam, tinha que ser convencido por algo que me trouxesse um novo desafio diferente. E foi isso, o presidente foi ao Brasil para me convencer que esse era o projeto certo, ambicioso, para eu continuar em Portugal.

 

Saiu do paraíso para onde?

 

– Eu vou agora tentar conquistar outro paraíso, é o que compete a mim e minha equipe técnica. Como é normal dependermos de resultados, estamos convictos que temos capacidade de fazer um grupo muito forte. E para isso temos que começar. Não vim para o Benfica, como li alguns jornais, para fazer revolução. Não vou fazer revolução. Vou mudar conceitos e ideias com as pessoas que estão aqui, com os jogadores, a estrutura que está aqui. E nesse perfil que eu acho que leva ao êxito vamos fazer uma equipe muito forte para tentar dizer que voltei ao paraíso.

 

Como definir novo ciclo?


– Não sou o mesmo treinador de quando saí do Benfica. Sou diferente, acho que sou muito mais treinador. Tenho ideias muito mais valorizadas não só no Benfica, mas no futebol português. Lembro que quando saí do Benfica falei que a linguagem do futebol tinha que começar a mudar. Disse que o pioneiro nessa mudança seria o Benfica.

 

Torcida dividida


– A única coisa que posso prometer aos torcedores é o meu trabalho, e que não chego como cheguei 10 anos atrás. Chego com muitos títulos que muita gente ajudou a ganhar. Um treinador que hoje no mundo é muito conhecido. Agradeço a quem? Ao Benfica. Ao Flamengo. Mas também pela minha capacidade de trabalho. E o que vou prometer é que vou trabalhar, voltar a dar alegrias aos torcedores. E é nisso que acredito, o que posso dizer é que tenho que convencer os torcedores do Benfica que quando cheguei do outro lado do Atlântico ninguém acreditava em mim. E não eram sete milhões, eram 50 milhões. E quando eu saí de lá, choraram por mim.

 

Conselhos para sucessor no Flamengo

– A gente neste momento está apresentando o novo treinador do Benfica. Entendo a pergunta, mas não tenho que dar conselhos ao novo treinador do Flamengo, ele saberá o que fazer. Terá jogadores que vão ajudá-lo, com certeza. E aquilo que eu desejo são as maiores felicidades para ele e para mim.

 

Pode prometer títulos europeus?

– O primeiro grande objetivo é sempre o campeonato nacional português. É o primeiro objetivo das três grandes equipes. E aquelas que podem ambicionar mais títulos além dos nacionais, que é o que o Benfica tem que fazer. Recuperar o prestígio internacional. O Benfica chegou a duas finais, que hoje sou conhecido por ter chegado lá. E é o caminho que temos que ter, são as exigências desse clube. Um Benfica internacional, jogando na Europa. Mas para chegar a títulos internacionais, como Champions e Liga Europa, tem que fazer uma revisão de tudo. Estamos elaborando, vamos tentar formar uma equipe muito forte. Pensar que queremos ganhar tudo. Porque estou habituado a ganhar tudo. No último ano, das quatro competições, ganhei as quatro. Queremos chegar também a títulos internacionais, é isso que vamos trabalhar. Vamos prometer confiança, compromisso, que queremos todos os torcedores unidos por uma causa, que se chama Benfica, não Jorge Jesus. Eu sou treinador do Benfica, tenho que ser julgado pelo meu passado. Sou treinador de futebol, não sou treinador de nenhum time. Mas em todas que trabalho, trabalho com compaixão e amor por onde trabalho.

 

Projeto ambicioso no Benfica

– Não há dúvidas que projetos de futebol fazem e se desfazem. Quem toma as decisões precisam saber o que querem, os presidentes tomam decisões para seus projetos. Os projetos numa altura são um, passam os anos e são outros. O futebol é isso, valorização das pessoas, de reconhecer os caminhos que se quer traçar e criar. Tem a ver com projetos que numa altura são uns, e em outra são outros. Esse novo ciclo do Benfica é com um projeto muito mais vencedor.

 

Busca por jogadores no mercado

– Temos falado sobre o que pode ser o elenco, como falam no Brasil. Acreditamos que temos capacidade para entusiasmar os grandes jogadores na Europa para virem jogar no Benfica com um objetivo bem definido. Não vou falar em nomes, não importa falar em nomes. O que importa é trabalharmos e termos a certeza de quem podemos contratar. Sabemos os alvos que queremos, até onde pode chegar. Temos que ser conscientes dentro dos jogadores que podemos contratar para satisfazer os objetivos que o Benfica tem, pois o Benfica tem um leque de jogadores que vão continuar nesta casa, com muito valor. E com a ajuda de outros vamos fazer uma grande equipe, não tenho nenhuma dúvida disso. E vamos arrasar.

 

Participe de um dos nossos grupos no WhatsApp e receba diariamente as principais notícias do Portal da Educadora. É só clicar AQUI.

PUBLICIDADE