11/09/2021 09h29 - Atualizado em 11/09/2021 09h30

JEC enfrenta o Bangu na primeira “final” do mata-mata da Série D

Invicto, Tricolor encara o time carioca, classificado na quarta colocação

PUBLICIDADE
Assistência Familiar Alto Vale
JEC garantiu a liderança ao vencer o Cascavel e agora tem o Bangu como adversário do primeiro mata-mata (Foto: Vitor Forcellini / JEC / Divulgação)

JEC garantiu a liderança ao vencer o Cascavel e agora tem o Bangu como adversário do primeiro mata-mata (Foto: Vitor Forcellini / JEC / Divulgação)

PUBLICIDADE
Delta Ativa

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

CLIQUE AQUI

 

O momento mais aguardado do ano para a torcida tricolor finalmente chegou. O mata-mata da Série D começa neste sábado (11) e o JEC enfrenta o Bangu, às 15h, no Estádio Moça Bonita, na primeira “final” das seis que terá pela frente até chegar ao objetivo principal: o acesso à Série C.

 

Depois de terminar a primeira fase invicto e na liderança do grupo 8, o Tricolor chega para a segunda fase com a segunda melhor defesa de toda a competição, com apenas seis gols sofridos em 14 jogos. Já o Bangu se classificou na quarta posição do grupo 7, com cinco vitórias, quatro empates e cinco derrotas. O time se classificou graças ao saldo de gols e chega com um time competitivo e que está em fase crescente, após duas vitórias consecutivas que garantiram a vaga no mata-mata.

 

A jovem equipe do Bangu, salienta o técnico Leandro Zago, tem intensidade, juventude, velocidade e qualidade técnica. “Apesar da média de idade baixa, é uma equipe de qualidade técnica, de jogadores de velocidade, que tem feito bons jogos, está em uma curva crescente e isso nos mantém em estado de alerta”, avalia.

 

O JEC já estava analisando os possíveis adversários e o comandante conta que há algumas semanas o time carioca já vinha sendo monitorado e analisado pelo staff tricolor. “A competição agora assume um novo caráter e nós já estávamos analisando o time há algumas semanas”, diz.

 

Um jogo intenso. É o que o Tricolor espera neste sábado, mas tudo foi devidamente pensado, reforça Zago. “A intensidade dos nossos jogos é sempre alta. O ambiente do jogo deve contribuir com a questão térmica, mas estamos preparados para isso, estamos com estratégias especiais de hidratação e precisamos estar atento a todos os detalhes”, fala.

 

Para a partida, Zago tem o desfalque do lateral-esquerdo Renan Castro, suspenso após receber cartão vermelho no jogo contra o Cascavel, mas em contrapartida, tem os retornos do lateral Carlinhos, do meia Chrystian e do atacante Paulo Victor.

 

Apesar do desfalque e das mudanças que devem acontecer, o comandante ressalta que, quem entra em campo precisa ter o melhor desempenho para garantir o bom resultado para o time. “A hora que o jogo iniciar, energia total para buscar um grande resultado no Rio de Janeiro”, diz.

 

Equilibrado na primeira fase, a tendência é que o time continue com o mesmo “mantra” de que cada jogo é uma decisão. No entanto, o treinador sabe que é preciso muito preparo emocional em um cenário em que a decisão, agora, é de 180 minutos.

 

Trabalhamos desde o início com a postura de encarar todo jogo como uma final, é a nossa 15ª final, mas esse desafio de saber que é um duelo de 180 minutos demanda controle emocional. Temos que pesar tudo, mas na nossa visão jogamos como mais uma final”, finaliza.

 

Provável time titular: Rafael Pascoal; Edson Ratinho, Fernando, Helerson e Carlinhos; Naldo, Davi Lopes e Chrystian; Paulo Victor e Junior Fialho.

 

Ficha técnica

 

Bangu x JEC

Sábado (11), às 15h

Local: Estádio Moça Bonita

Árbitro: Ronei Candido Alves (MG)

Assistentes: Marcyano da Silva Vicente (MG) e Luiz Antônio Barbosa (MG)


POR: DRIKA EVARINI – ND+

SIGA AS REDES SOCIAIS DA RÁDIO EDUCADORA: INSTAGRAMFACEBOOK YOUTUBE.

 

 
PUBLICIDADE