30/04/2021 14h51

Hercílio Luz afirma que teve o aval do Tribunal de Justiça Desportiva de SC para escalar Alisson

"Na nossa interpretação não erramos", diz o diretor jurídico do Leão do Sul, Marcus Acorsi. Equipe será julgada na terça (04)

PUBLICIDADE
Assistência Familiar Alto Vale
Marcus Acorsi acredita na absolvição do clube (Foto: Reprodução / Hercílio Luz)

Marcus Acorsi acredita na absolvição do clube (Foto: Reprodução / Hercílio Luz)

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Hercílio Luz confia na absolvição no caso envolvendo a suposta escalação do lateral-direito Alisson diante do Brusque, pela nona rodada do Campeonato Catarinense. Diretor jurídico do Leão do Sul, Marcus Acorsi disse nesta sexta-feira que no julgamento do dia 6 de abril,o clube foi informado pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SC) que o atleta poderia jogar.

 

— O julgamento foi numa terça-feira (dia 6), e o clube fez a defesa escrita e também virtual ao lado do jogador. Na sessão, o Alisson explica o que ocorreu na partida pela Série B e foi dito (pelo TJD-SC) que ele poderia atuar (no dia 10). Houve essa afirmação, mas não sei de quem, pois eu não estava lá. Já solicitamos a cópia da gravação da sessão para saber quem disse isso. Em virtude da gente conhecer a legislação, optamos pela escalação dele. Na nossa interpretação não houve erro — disse.

 

 

Alisson foi expulso na final da Série B do Catarinense 2020 contra o Próspera e aguardava pelo julgamento. O Hercílio Luz entende que por ter ficado fora das oito primeiras rodadas do estadual, o lateral cumpriu a suspensão. Acorsi destacou o motivo da demora para o caso ser julgado e, também, que o sistema da Federação Catarinense de Futebol (FCF) permitiu a colocação do atleta do jogo.

 

— A demora pelo julgamento foi pela troca na secretaria do TJD-SC. Soubemos pela imprensa essa situação de que o jogador atuou de forma irregular, mas estamos cientes que agimos corretamente. Caso um jogador tenha qualquer impedimento, o sistema da FCF bloqueia no momento de inserir o nome na súmula, mas não foi o caso do Alisson contra o Brusque.

 

Acorsi ainda citou o caso do volante Roberto, do Metropolitano, que também recebeu cartão vermelho na última rodada da Segunda Divisão, mas que atuou nesta temporada na estreia contra o Figueirense e o clube não recebeu qualquer punição.

 

— Um caso aso semelhante é o do Roberto, do Metropolitano, que foi julgado em janeiro e estamos analisando em cima disso. É uma situação similar e iremos levar isso ao julgamento de terça-feira — completou.

 

Até que haja o resultado do julgamento, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) suspendeu a semifinal entre Marcílio Dias e Chapecoense, marcada para o domingo, em Itaja. A sessão está agendada de maneira virtual para terça-feira, às 19h. Caso o Hercílio Luz seja punido, o clube perde três pontos e, assim, o Figueirense herda a vaga nas quartas de final para enfrentar a Chape.


PUBLICIDADE