06/05/2020 13h52

Funcionários do Flamengo disparam contra diretoria após demissões: “Manda os que ganham menos para a rua”

Carta dos funcionários foi divulgada com exclusividade para o jornalista Jorge Nicola

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

Recentemente o Flamengo adotou algumas medidas para evitar uma possível crise financeira devido a paralisação do calendário esportivos por conta da pandemia de coronavírus. Ao todo, 62 funcionários tiveram seus respectivos contratos com o rubro-negro encerrados, justamente para enxugar a folha de gastos do clube.

 

Em um documento enviado com exclusividade para o jornalista Jorge Nicola, que foi publicado em seu blog no Yahoo, o comentarista da ESPN entregou em detalhes toda a indignação por parte dos trabalhadores que foram desligados do time carioca.

 

No documento em questão, os ex-funcionários demonstram uma grande chateação com os mandatários da atual diretoria, que, no ponto de vista deles, não tiveram um pingo de consideração e sensibilidade pelos seres humanos que demitiram, sabendo da situação que o país se contra devido a pandemia.

 

Ainda no desabafo, os mesmos ressaltaram a questão de que ainda possuem valores em aberto dos prêmios conquistados referentes aos títulos do ano passado. Ou seja, os valores extras que eles teriam de receber foram cortados.

 

Tendo em vista o alvoroço causado por conta do desligamento dos 62 funcionários, o Flamengo anunciou, na última terça-feira, 5, o corte de 25% do valor do salário do elenco e também afirmou que o pagamento dos direitos de imagem referentes ao mês de maio e junho será adiado para janeiro de 2021.

 

Confira a carta na íntegra:

 

Neste momento de pandemia, neste momento que estamos vivendo uma crise, depois de anos e anos dedicando trabalho e amor ao nosso clube, o que recebemos em troca? Somos demitidos de forma cruel e sem perspectiva de trabalho. A maioria de nós recebe salários que temos até vergonha de falar, pois é importante que todos saibam o quanto o CR do Flamengo remunera mal seus funcionários, para que os gerentes, supervisores, diretores e Ceo tenham bônus até fora da realidade do mercado.

 

É só olhar nos últimos balanços e ver o quanto estas pessoas ganham de bônus. Essa diretoria é desumana. O presidente e o presidente adjunto não têm nenhuma sensibilidade humana. Falamos do Landim, presidente eleito, e do sr. Bap, que é quem comanda o clube, vide o caso dos “Meninos do Ninho”. As famílias até hoje imploram que o clube faça a sua parte e esta dupla sem dó nem piedade não dá a mínima para elas.

 

Olha o caso da premiação dos títulos do Brasileiro e da Libertadores. O pessoal que trabalha ou trabalhava no futebol tinha uma participação importante. Muitos poderiam pagar suas contas, ter um fim de ano melhor, proporcionar às suas famílias um Natal digno… O que foi feito? Cortaram sem dó nem piedade a base de 80% do prêmio para os humildes funcionários, pois para os grandes todos receberam sua premiação integral.

 

Agora, neste momento de pandemia, poderiam falar com os atletas e eles com sua condição financeira melhor que as nossas poderiam contribuir pra atingir o objetivo da economia. Não, manda os que ganham menos para rua. Este é o Flamengo bem no campo de jogo com atletas comprometidos e um treinador competente, humano e educado com todos os funcionários, mas uma diretoria formada por insensatos como jamais houve na história do clube.

 

Fonte: SportBuzz

 
PUBLICIDADE