23/09/2021 11h26

Em jogo com retorno de público, queda de energia e expulsão, Marcílio e Figueira ficam no 0 a 0

Equipes seguem na ponta da Copa Santa Catarina

PUBLICIDADE
Assistência Familiar Alto Vale
PUBLICIDADE

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

CLIQUE AQUI

 

Em partida que marcou o retorno do público no estádio Doutor Hercílio Luz, o Gigantão das Avenidas em Itajaí, Marcílio Dias e Figueirense ficaram no empate sem gols na noite desta quarta-feira (22). Além do retorno do público, o jogo válido pela segunda rodada da Copa Santa Catarina, também foi marcado por paralisação de quase 20 minutos em virtude de uma queda de energia e expulsão do capitão João Paulo do Alvinegro na etapa final.

 

Primeiro tempo

 

Mandante da segunda rodada, o Marcílio Dias iniciou o primeiro tempo esboçando alguns ataques e também com a maior posse de bola, mas não durou muito tempo. Logo aos o Figueirense chegou com muito perigo e quase abriu o placar em Itajaí. Em jogada pelo lado esquerdo, o camisa 11 Andrew alçou a bola na área e o atacante Bruno Paraíba subiu mais alto que toda zaga marcilista para cabecear. O gol só não saiu graças a defesa de Renan que, com a ponta dos dedos, colocou a bola para fora.

 

Depois do primeiro ataque, só deu Figueira. Aos 15, novamente pelo lado esquerdo, na cobrança de falta do capitão João Paulo, mais uma vez Bruno Paraíba tocou de cabeça. A bola ainda chegou a desviar em outro jogador do Alvinegro, mas passou sobre o gol do Marinheiro.

 

Aos 20, atacando sempre com jogadas pelo lado esquerdo, Andrew limpou o marcador e cruzou alto na área, sempre absoluto na jogada aérea, Bruno Paraíba subiu mais uma vez para cabecear com muito perigo ao gol. A bola passou no canto esquerdo do goleiro Renan.

 

No minuto seguinte, foi a vez do Marinheiro reagir. Em bola recuada para o goleiro Rodolfo Castro, o meia-atacante Warley apertou e, na hora do arremate do goleiro, a bola pegou na barriga do jogador marcilista. O gol só não saiu porque Rodolfo teve sorte e a bola retornou em suas mãos.

 

Logo depois, aos 23 minutos, em virtude de um apagão no Gigantão das Avenidas e também nas proximidades do estádio, o jogo precisou ser paralisado por 19 minutos até o retorno da energia.

 

A paralisação fez muito bem para o Rubro-Anil e, após o retorno da partida, o Marinheiro foi absoluto em todo restante do primeiro tempo. Dessa vez, o apagão não era mais no estádio, mas sim no time do Figueira. A equipe que era melhor antes da paralisação retornou totalmente diferente enquanto o Marcílio Dias mudou consideravelmente para melhor.

 

Aos 31 minutos, o lateral-esquerdo Fernando fez bela jogada com velocidade pelo lado esquerdo, invadiu a área e cruzou no pé do volante Julinho que, de cara para o gol, não aproveitou a oportunidade e mandou a bola longe do gol do Alvinegro.

 

Já aos 43, mais uma vez Julinho arrancou com a bola pelo meio e de fora da área arriscou uma bomba, mas o goleiro Rodolfo encaixou a bola com tranquilidade.

 

Etapa final

 

Logo aos 2 minutos, em cruzamento rasteiro, a bola sobrou em Warley que, com linda jogada, driblou o marcador e, com o pé esquerdo que não é bom, mandou um lindo chute no canto direito do goleiro Rodolfo. Mais lindo do que o chute, foi a defesa do goleiro do time da capital que pulou no cantinho para impedir o que seria o primeiro gol do Marinheiro.

 

Já aos 4, o cenário que já não estava bom para o Alvinegro ficou ainda pior. Warley fez linda jogada com dois chapéus nos marcadores e só foi parado após a chegada forte de João Paulo. O capitão da equipe vistante que já tinha levado cartão amarelo no primeiro tempo, acabou tomando o segundo e foi expulso ainda no início da etapa final. Quem assumiu a faixa de capitão foi o camisa 13 Guilherme Teixeira.

 

Aos 16 minutos, um lance bizarro. Em cruzamento para área do lateral-direito Luiz Renan, o jogador da mesma posição, mas do Alvinegro, André Krobel, na tentativa de afastar o perigo, mandou uma pancada contra o próprio gol. A bola ainda chegou a pegar no travessão e saiu para a linha lateral.

 

Já aos 27, em jogada de contra ataque, Everton Brito recebeu a bola na entrada da área, limpou a zaga e bateu com perigo para a bela defesa de Renan.

 

Depois disso, ambas as equipes conseguiram criar duas chances muito claras de gol, mas em efetividade, ficaram no empate sem gols no Gigantão das Avenidas.


POR: LUIZ MENDES – ESPORTE SC
FOTO: BRUNO GOLEMBIEWSKI – MARCÍLIO DIAS

SIGA AS REDES SOCIAIS DA RÁDIO EDUCADORA: INSTAGRAMFACEBOOK YOUTUBE.
PUBLICIDADE