25/09/2021 11h10

Brusque é punido com perda de pontos no caso de injúria racial contra Celsinho

Além disso, a equipe catarinense e o conselheiro, responsável pelo ato, foram multados e este, suspenso por 360 dias

PUBLICIDADE
Assistência Familiar Alto Vale
PR - LONDRINA-CORITIBA - ESPORTES - Após sofrer episódio de racismo na ultima rodada, Celsinho marca em clássico contra o Coritiba e comemora com o punho cerrado como forma de protesto durantepartida entre Londrina x Coritiba válida pela 22° rodada do campeonato brasileiro série B no Estádio do Café, 01/10/2021 em Londrina 01/09/2021 - Foto: ISAAC FONTANA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

PR - LONDRINA-CORITIBA - ESPORTES - Após sofrer episódio de racismo na ultima rodada, Celsinho marca em clássico contra o Coritiba e comemora com o punho cerrado como forma de protesto durantepartida entre Londrina x Coritiba válida pela 22° rodada do campeonato brasileiro série B no Estádio do Café, 01/10/2021 em Londrina 01/09/2021 - Foto: ISAAC FONTANA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

PUBLICIDADE

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

CLIQUE AQUI

 

O Brusque foi punido com a perda de três pontos na Série B do Campeonato Brasileiro pelo caso de injúria racial sofrido pelo atleta Celsinho, do Londrina, em partida no estádio Auguto Bauer. O caso foi julgado pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) nesta sexta-feira (24), em audiência virtual.

 

Com a punição, a equipe catarinense passa de 29 para 26 pontos na tabela. O Marreco e um conselheiro do clube responderam por um “ato discriminatório” contra o jogador da equipe paranaense.

 

Além da perda de pontos, o Quadricolor recebeu uma multa no valor de R$ 60 mil. Já o conselheiro Júlio Antônio Petermann foi suspenso por 360 dias e multado em R$ 30 mil.

 

A decisão, proferida pela Quinta Comissão Disciplinar do STJD, foi em primeiro grau e cabe recurso.

 

Relembre o caso

 

A ofensa ao jogador Celsinho aconteceu no dia 28 de agosto, em confronto válido pela 21ª rodada da competição. O jogador alegou ter sido chamado de “macaco” por uma pessoa que estava na arquibancada.

 

Na súmula, o árbitro Fábio Augusto Santos Sá relatou que o meia ouviu a frase “vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha” ao final do primeiro tempo. Júlio Antônio Petermann foi identificado como o autor da ofensa.

 

Clube e conselheiro foram enquadrados no artigo 243-G do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) por “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito”.

 

Clube divulgou vídeo mostrando ofensa

 

Após o ocoriddo, o Londrina divulgou um vídeo nas redes sociais onde, durante a transmissão da partida, é possível ouvir um grito de “macaco”. O clube catarinense, em um primeiro momento, acusou Celsinho de estar sendo “oportunista” ao denunciar o racismo.

 

Julgamento aconteceu nesta sexta-feira – Foto: STJD/Reprodução

Julgamento aconteceu nesta sexta-feira (Foto: STJD / Reprodução)

Depois, o Quadricolor se desculpou, afastou o integrante do estafe acusado pelo crime e instalou câmeras para captar o áudio das arquibancadas. O clube perdeu um patrocinador por causa do episódio.

 

Contraponto

 

Através de assessoria de imprensa, o Brusque afirmou que em breve irá se posicionar sobre o tema.


FONTE: ND+
FOTO: ISAAC FONTANA / FRAMEPHOTO / ESTADÃO CONTEÚDO

SIGA AS REDES SOCIAIS DA RÁDIO EDUCADORA: INSTAGRAMFACEBOOK YOUTUBE.
PUBLICIDADE