23/06/2020 10h31

Avaí protocola pedido à FCF para ser reconhecido campeão no caso de não poder atuar na Ressacada

Documento oficial cobra posicionamento favorável da Prefeitura de Florianópolis até sexta-feira

PUBLICIDADE
Fonte: Globo Esporte SC

Fonte: Globo Esporte SC

PUBLICIDADE
Delta Ativa

OAvaíprotocolou nesta segunda-feira um pedido à Federação Catarinense de Futebol (FCF) para ser reconhecido campeão estadual de 2020, desde que seja mantido oveto da Prefeitura de Florianópolis sobre a realização de eventos esportivos na cidade, o que impede o Leão da Ilha de mandar seus jogos do Campeonato Catarinense no estádio da Ressacada.

 

Na primeira fase, o Avaí terminou na liderança e, por isso, conquistou a vantagem de decidir em casa até uma possível final. A Prefeitura de Florianópolis, porém, mantém o veto em meio à pandemia da Covid-19, o que obriga o Leão da Ilha levar suas partidas para outra cidade. No entendimento dos dirigentes, isso causará prejuízo técnico, pois os adversários terão o direito de atuar em seus domínios.

 

O pedido do Avaí para que seja reconhecido campeão estadual de 2020 se baseia no artigo 149 do regulamento do Campeonato Catarinense, que diz: “os casos omissos e as eventuais dúvidas que possam vir a surgir serão resolvidos pela Diretoria da Federação Catarinense de Futebol”.

 

A Federação se manifestou de forma breve sobre o ofício protocolado pelo Leão da Ilha: “Trabalhamos em conjunto com a Associação (SC Clubes) e os clubes para o reinício do campeonato, e eles (Avaí) estavam cientes disso”.

 

O documento oficial assinado pelo presidente Francisco Battistotti cobra também um posicionamento favorável da Prefeitura de Florianópolis com prazo final até a sexta-feira, dia 26. Caso isso ocorra, o Avaí teria tempo hábil para realizar os treinos necessários na Ressacada ou no Centro de Formação de Atletas (CFA), anexo ao local, visando o recomeço do Catarinense, agendado para 8 de julho pela FCF.

 

Gean Loureiro não cede pressão — Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC

Gean Loureiro não cede pressão — Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC

 

Em entrevista à CBN Diário, logo após o Avaí protocolar o pedido junto à Federação, o prefeito Gean Loureiro voltou a reforçar o veto ao futebol em Florianópolis por tempo indeterminado. Nesta segunda-feira, umnovo decreto voltou a restringir algumas atividades na cidade.

 

“Isso (o futebol) já não estava permitido. É uma insistência. Estamos preocupados com a vida da população. A gente não está brincando com a doença. Ela vai ter uma crise maior. Não temos como falar em qualquer nova flexibilização. Nossos dados são técnicos. Não irei agir sob pressão”, disse o prefeito.

 

“Já se falou até em entrar na Justiça, e é um direito de cada um. A gente sabe que não é o momento de se discutir sobre futebol. A gente convive com a doença e é preciso ter regras. Se encaminharam para a Federação (o protocolo) também é um direito. Mas aqui não iremos discutir nenhuma outra atividade, até porque estou fechando. Não seria lógico abrir uma outra que já está fechada”  completou.

 

A primeira partida contra a Chapecoense, adversária nas quartas de final do estadual, está agendada para 8 de julho, às 21h30 (horário de Brasília), na Arena Condá. A volta será no dia 12, às 16h, mas ainda em local incerto. AFCF liberou o estádio Renato Silveira, em Palhoça, para a utilização do Avaí.

 

Abaixo o pedido do Avaí à FCF

 
PUBLICIDADE