05/04/2021 09h24

Cientista cético tenta refutar ressurreição de Jesus, mas evidências o convencem

Ao investigar história encontrada na Bíblia, ele foi surpreendido por evidências da ressurreição

PUBLICIDADE
Assistência Familiar Alto Vale
Tumba de Jesus vazia (Foto: Direitos Reservados / Deposiphotos)

Tumba de Jesus vazia (Foto: Direitos Reservados / Deposiphotos)

PUBLICIDADE
Delta Ativa

O detetive de sucesso e ateu, J. Warner Wallace, ficou conhecido depois de resolver diversos assassinatos durante décadas, e logo se tornou o maior especialista de crimes reais na TV americana.

 

Ele então decidiu usar suas habilidades de detetive para refutar a ressurreição de Cristo, e disse a si mesmo que iria descobrir a verdade sobre o caso.

 

Em suas teorias Wallace acreditava que Jesus estava “quase morto” e reviveu mais tarde, que a cruz não tinha o matado realmente, e que na época deram Jesus como morto, mas ele não teria morrido de fato.

 

Procurando evidências contra a ressurreição

 

O autor do livro Cold-Case Christianity, foi procurar na história da Bíblia algo que provasse a sua teoria, mas ao contrário do que pensava ele foi encontrando provas de que Jesus estava realmente morto.

 

A primeira delas foi no Evangelho de João, quando um soldado perfurou o corpo de Jesus com uma lança e saiu água e sangue. “A água vai se acumular em seus pulmões. Agora, se isso acontecer, se você perfurar essa cavidade, verá uma separação entre sangue e água”, disse ele.

 

Wallace ficou impressionado com João por ter escrito esse fator biológico pouco conhecido, com essa evidência ele afirmou que Jesus morreu de parada cardíaca e estava morto quando foi retirado da cruz.

 

Outro ateu que tentou convencer o mundo de que não havia provas da ressurreição de Cristo em seu livro foi Josh McDowell, mas quando começou a investigar suas teorias caíram por terra e ele ficou convencido da veracidade do fato.

 

Mudando de time: Jesus ressuscitou!

 

Tanto Wallace quanto McDowell se tornaram crentes em Jesus, as evidências que coletaram apontavam cada vez mais para fatos históricos que duram até hoje de que a ressurreição de Cristo é verídica.

 

Um dos fatores que levou os dois cientistas a acreditarem que Jesus reviveu, foi o fato de que era impossível mais de uma pessoa ter a mesma alucinação de ver Jesus depois de morto como foi relatado.

 

McDowell também declarou que de acordo com a sua pesquisa se Jesus não tivesse ressuscitado dos mortos a Igreja jamais teria sido fundada, esse acontecimento foi a peça chave para o nascimento do Cristianismo.

 

De acordo com a CBN News, os dois ex-ateus estiveram na conferência “A Verdade para uma Nova Geração” nos EUA para falar de como se tornaram defensores da ressurreição de Cristo.


FONTE: GOSPEL PRIME

Participe de um dos nossos grupos no WhatsApp e receba diariamente as principais notícias do Portal da Educadora. É só clicar aqui.

 

PUBLICIDADE