14/04/2019 13h05 - Atualizado em 12/04/2019 11h06

Réus enfrentam júri e acabam condenados por tentativa de homicídio e feminicídio em SC

Um homem foi condenado a 20 anos de reclusão pelo homicídio quadruplamente qualificado de sua esposa

PUBLICIDADE
TJ/SC

TJ/SC

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Três pessoas foram condenadas em dois júris realizados nesta semana nas comarcas de Lages e Araranguá. No Planalto Serrano, um dos réus foi condenado a sete anos de reclusão, em regime semiaberto, e outro a dois anos e oito meses, em regime aberto, pela prática de tentativa de homicídio.

 

O crime ocorreu em 2012. Um deles teria se desentendido com a vítima em uma boate. No caminho para casa, no bairro Santa Helena, os dois réus, em uma motocicleta, surpreenderam o rapaz ao disparar tiros em sua direção. Um deles atingiu a região do pescoço do jovem, à época com 17 anos. O homicídio não se consumou porque a vítima foi socorrida pelo atendimento de emergência. A sessão foi presidida pelo juiz Geraldo Correa Bastos.

 

Já no sul do Estado, um homem foi condenado a 20 anos de reclusão pelo homicídio quadruplamente qualificado de sua esposa. O crime aconteceu na madrugada de 6 de agosto de 2017, na praia da Meta, em Arroio do Silva. O homem teria desferido golpes contra a cabeça da vítima, pelas costas, deixando-a inconsciente, e amarrado uma corda ao redor do abdômen da mulher, sendo que na outra extremidade estava uma rede de pesca, então lançada ao mar. Ele teria intencionalmente arrastado a mulher até a água – ela morreu por asfixia causada por afogamento.

 

O Conselho de Sentença reconheceu como qualificadoras a motivação torpe, consistente em ciúmes e sentimento de posse que o réu nutria pela esposa, o emprego de meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. A sessão foi presidida pela juíza titular da 1ª Vara Criminal da comarca, Leticia Pavei Cachoeira.

PUBLICIDADE