04/07/2019 13h25 - Atualizado em 04/07/2019 10h48

Previsão indica neve para SC

Fenômeno deve acontecer entre amanhã (5) e sábado (6)

PUBLICIDADE
Informação: Josélia Pegorim / Clima Tempo - Foto: Kalyane Alves - Divulgação: Jornal A Semana

Informação: Josélia Pegorim / Clima Tempo - Foto: Kalyane Alves - Divulgação: Jornal A Semana

PUBLICIDADE
Delta Ativa

As condições para a ocorrência de neve, e de outras precipitações de inverno como chuva congelada, estão sendo confirmadas dia a dia desde o começo desta semana. O dia “D” é mesmo a sexta-feira, 5 de julho, mas uma possibilidade de ainda ocorrer alguma neve na madrugada do sábado, 6 de julho, não pode ser descartada.

 

Já tem bastante ar frio entrando sobre o Sul do Brasil, mas é durante esta quinta-feira, 4 de julho, que começa a ocorrer um reforço de resfriamento, com a entrada de mais ar frio de origem polar sobre o norte da Argentina.

 

Durante a sexta-feira, 5 de julho de 2019, a injeção de ar gelado sobre o Sul do Brasil será muito grande e constante. As condições de vento moderado e/ou muita umidade (falta de sol) vão aumentar a sensação de frio por toda a Região. Será um dia todo gelado!

 

A maior probabilidade de nevar, e /ou ocorrer outras precipitações de inverno, é nesta sexta-feira, 5 de julho de 2019, e tudo indica que não será só em um período do dia. A queda de neve ou outros fenômenos gelados poderão ocorrer em qualquer horário, desde a madrugada até a noite.

 

Na madrugada do sábado, dia 6 de julho, sábado, ainda tem chance de nevar, mas só nas áreas mais elevadas da serra de Santa Catarina.

 

O mapa da neve

 

Quase todos os anos ocorre alguma neve no Sul do Brasil. Este ano, a possibilidade de nevar, ou de ocorrer algum outro tipo de precipitação de inverno, como chuva congelada e chuva congelante, em áreas baixas, fora de serras, não pode ser completamente descartada. Embora menor, esta chance existe e se ocorrer não será a primeira vez.

 

No começo de julho do ano passado foi registrado neve granular em Pinheiro Machado, no sul do Rio Grande do Sul, região próxima de Bagé. Em meados de junho de 2018 ocorreu chuva congelada em Foz do Iguaçu, no sudoeste do Paraná.

 

A probabilidade de nevar é moderada a alta nas áreas de serra do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina e também nos planaltos catarinense. Desta vez, a chance de queda de neve de outras precipitações de inverno é grande até para cidades da serra gaúcha de menor altitude como Canela, Gramado, Caxias do Sul. Em Santa Catarina, a região de Campos Novos, Lages, de Caçador, além das cidades mais altas da serra como Urubici, São Joaquim, Urupema estão entre as áreas com grande chance de ver a neve cair novamente.

 

Como acontece a neve?

O que chamamos de floco de neve, ou simplesmente neve, é um aglomerado de cristais de neve que foram se juntando aleatoriamente ao saírem da nuvem. A nuvem que poderá conter os cristais de gelo, que vão se juntar e depois virar neve, precisar ter temperatura muito baixa, abaixo de 0°C, em toda a sua extensão. Para que o cristal de neve chegue ao chão sem se desfazer é preciso que o ar entre a base da nuvem e o solo também esteja extremamente frio, com temperaturas abaixo de 0°C ou muito próximas disto.

 

Então, para nevar, é preciso muita umidade e muito ar frio para formar nuvens geladas!

 

No Sul do Brasil, estas condições são observadas quando temos ao mesmo tempo a influência de uma forte massa de ar frio de origem polar e a proximidade com um ciclone extratropical. O vento produzido pelo ciclone extratropical leva umidade para interior do continente e uma forte massa de ar de origem polar mantém a atmosfera muito fria.

PUBLICIDADE