03/07/2019 14h40 - Atualizado em 03/07/2019 14h17

Prefeito Thomé leva reivindicações ao DNIT sobre a BR-470

Ele debateu sobre novas obras para a região

PUBLICIDADE
Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE
Delta Ativa

O prefeito de Rio do Sul, José Thomé, esteve em Brasília (DF) nesta terça-feira (2), para uma audiência com o general Antônio dos Santos Filho, diretor geral do DNIT. A reunião fez parte de uma agenda do Fórum Parlamentar pela BR 470, em que o prefeito levou encaminhamentos para ações na rodovia. Como ainda há um pré orçamento para 2020, tanto para manutenção como para obras de duplicação de lotes que ficam na região do Vale do Itajaí, fica a necessidade de ampliação do recurso já previsto, que é de aproximadamente R$ 100 milhões.

 

Na audiência que teve ainda a presença deputado Federal, Rogério Peninha Mendonça (MDB), Thomé destacou ainda ao diretor do DNIT a necessidade de aumento do orçamento para manutenção de trechos no Alto Vale, partindo de Apiúna até a região de Rio do Sul. E pede ainda novos trevos de acesso à cidade, como nas proximidades da região da Estrada Geral Navegantes, onde a prefeitura já está com um projeto de melhoria da entrada e saída de veículos, com ponte de concreto até o bairro Bela Aliança e obras de pavimentação.

 

Outras obras fazem parte do pedido via ofício, como uma passarela sobre a rodovia, bem como melhorias no trevo na região do Frigorífico Pamplona. O acesso à estrada São Bento e Ademar Ohf, no bairro Progresso, pela BR 470, também estão em pauta, já que a comunidade local precisa de mais mobilidade nesta região de entrada e saída, assim como a necessidade de dar mais praticidade ao acesso ao centro da cidade. A avaliação do projeto de engenharia para esta obra já está em tramitação junto ao DNIT.

 

A construção de um viaduto na região do KM 138, nas proximidades do acesso à Uniasselvi é uma das maiores necessidades apontadas pelo prefeito para autorização do DNIT. O pré-projeto está pronto e precisa de aprovação. A avaliação é de um custo estimado em R$ 10 milhões em um sistema que pode melhorar muito a segurança e a trafegabilidade nesta região que tem grande número de veículos diariamente e que precisa de melhorias de circulação.

 

Para o prefeito, a recepção do diretor-geral, general Santos Filho, gera otimismo. A necessidade de melhorias na BR 470, tanto de manutenção, como obras de duplicação ou que resolvam problemas de segurança e mobilidade estão dentro de um quadro de prioridades. E o Fórum pela rodovia tem sido ouvido. “Estamos lutando muito por mais trechos de duplicação no Vale e Alto Vale, assim como mais investimentos. É um trabalho constante e que precisa da colaboração de todos os envolvidos para que as obras necessárias aconteçam”, ressaltou o prefeito.

PUBLICIDADE