08/06/2019 07h25 - Atualizado em 07/06/2019 10h36

O Brasil tem o pior sistema educacional do mundo

Artigo é escrito por Jaime Folle

PUBLICIDADE
Oeste Mais

Oeste Mais

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Na realidade nua e crua, foi feito um exame com alunos de 41 países, entre os quais o Brasil esteve presente nesta avaliação, para medir a competência da educação, como uma amostra de como anda o sistema educacional no mundo. E o Brasil esteve neste rol amargando o penúltimo lugar.

 

Como tudo no Brasil, precisamos achar culpados, porém a questão é um pouco mais séria, onde o quesito principal destes resultados está no sistema e não no processo.

 

A culpa não é do professor que se mata estudando, se preparando. A culpa não é do diretor ou diretora que se doam 24 horas por dia pela escola. A culpa não é do prédio muitas vezes malconservado. A culpa é sim do sistema educacional brasileiro, que está completamente equivocado, arcaico e fora de foco.

 

O primeiro erro é dizer que a escola é educadora. Educadora é a família, o papel e a responsabilidade da escola é ensinar e desenvolver competências, enquanto é da família a responsabilidade e o direito de educar.

 

O principal erro na parte familiar está no endeusamento dos filhos na infância e o prolongamento da adolescência, as famílias nos últimos tempos vêm criando jovens sem resistência à frustração, já que recebem praticamente tudo sem o menor esforço, de forma fácil. Além disso, os jovens estão sendo liberados pelos pais à pratica da satisfação e do prazer, tanto de ordem sexual, alimentar, precocemente. Sem responsabilidade dos atos que praticam. E se isso está acontecendo na família, a extensão é a escola.

 

Estes jovens não desenvolvem na família a maturidade e a capacidade de sofrer dor, frustrações, aprender com os próprios tombos, pois a falta desses fatores os tornam frágeis e ensimesmados, com as dificuldades normais para enfrentar a vida adulta. Daí chegam na escola uns verdadeiros bonecos de corda, que precisam ser acionados para funcionar, não conseguem ter iniciativa sozinhos porque foram extremamente protegidos pelos pais.

 

Já quando terminam suas faculdades, formam enormes filas de desempregados ou incapazes de tocar os negócios deixados pelos pais, com diplomas na mão, batendo recorde de pessoas “qualificadas” com uma formação de péssima qualidade, que iniciou no ensino básico, se prolongou no ensino médio e se enforcou na universidade, que finaliza o suicídio.

 

O Brasil está indo muito mal no sistema de formação de seus filhos porque o sistema está errado desde a família até a universidade.

 

Até a próxima!

PUBLICIDADE