15/05/2019 10h20 - Atualizado em 15/05/2019 10h25

Morre a primeira vereadora da história de Salete

Marta Füchter Hellmann alcançou a idade de 80 anos

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

O Plano de Assistência Familiar Alto Vale juntamente com os familiares vem por meio desta comunicar com pesar a parentes e amigos o falecimento de Marta Fuchter Hellmann ocorrido hoje (15) aos 80 anos de idade.   

 

O seu corpo será velado na Capela Mortuária ao lado da igreja matriz de Salete com a celebração de corpo presente hoje (15) às 17h, seguindo logo após para o Cemitério Municipal de Salete.

 

História

Nascida em Brusque, na localidade de Cinema, atualmente pertencente à Vidal Ramos em 01.07.1938, filha de Huberto Füchter e Clara Moraes Füchter, neta paterna de Nicolau Füchter e Maria Rehring e neta materna de Batista Ezequiel de Moraes e Maria Rohden. Casou-se em Salete em 11.04.1959 com Baldomiro Hellmann nascido em 11.08.1936 †19.05.2006, filho de João Hellmann e Gertrudes Faust. O casal teve seis filhos: Cleusa *18.01.1960 casada com Sérgio Preis [netos e bisneto: Sueli, Sílvio/Maiara Crema Pereira (Erick) e Sidnei], Nilza *04.05.1962 casada com Silvestre Sardagna (netos: Lúcia, Janete e Volnei), Tito *23.06.1963 casado com Veneranda Schlickmann (netos: Jean Carlos, Gilson e Gislaine) e do relacionamento de Tito com Solange, tem o neto Tiago, Mateus 12.02.1965 casado com Aniela Drozdek (netas: Sílvia e Márcia), Nilce *20.03.1969 casada com Zito Cipriani (neto: Eduardo) e Rosana *12.04.1974 casada com Braz Alves (netos: Rodrigo e Milena).

 

Fez seus estudos primários na antiga Escola Reunidas de Ribeirão Grande, formando-se no Curso Normal pela Escola Normal Regional das Irmãs Catequista, na cidade de Rodeio. Exerceu o magistério por três anos na Escola Estadual de Barra Grande. Na época dos estudos primários, por volta de 1947, Marta lembra que estava sendo construída a Igreja Matriz de Salete, obra que contou com a colaboração da comunidade, inclusive dos alunos que ficavam muito satisfeitos de carregar os tijolos e assim prestar sua colaboração para a construção da Igreja, liderada pelo Padre Clemente Kampmann.

 

Filha de pioneiros, chegou em Salete em 1940 com a idade de 2 anos. Também a família do marido foi uma das primeiras a colonizar o Rio Herta, onde Marta sempre residiu. Sua atividade principal foi na agricultura até sua aposentadoria, e ainda cultiva suas terras na comunidade.

 

Líder comunitária, participou de diretorias de Escola e Igreja, tendo sido presidente do Apostolado da Oração e atuante nos segmentos religiosos da comunidade e da paróquia de Salete.

 

A origem política de sua família era Udenista, porém após a extinção dos partidos políticos definiu-se por ingressar no MDB, a convite do então deputado Ivo Knoll e do líder do PMDB saletense Domingos Floriani, primeiro candidato a prefeito pelo partido. Disputou as eleições em duas oportunidades: em 1976, sendo a terceira colocada do seu partido, foi eleita a primeira suplente, com 3 votos a menos que o segundo colocado. Com a vacância do cargo em razão da mudança do titular Avelino Loch para Sinop, no Mato Grosso, coube a Marta Fuchter Hellmann o pioneirismo entre as mulheres na investidura ao cargo de vereadora em Salete.

 

Nas eleições de 1982, igualmente elegeu-se como primeira suplente, com 5 votos a menos que o último titular do partido, tendo assumido como vereadora em 13.08.1985 a 10.01.1986. Foi fundadora do PMDB em Salete e participou por diversas vezes do diretório municipal do partido. Embora eleita pela oposição, sua atuação na Câmara foi pautada pelo interesse da população, tendo aprovado todos os projetos do poder executivo, com destaque para a eletrificação rural, melhorias na educação e como desportista foi defensora da construção do Módulo Esportivo Municipal, iniciado na gestão do prefeito Affonso Rohden e concluído na gestão de Ademir Niehues, sendo que em ambas legislaturas Marta assumiu como vereadora. Marta é irmã de Paulo Füchter, o redator da Ata de Instalação do Município de Salete, em 29.12.1961.

PUBLICIDADE