12/07/2019 14h10 - Atualizado em 12/07/2019 13h44

Ibirama entra na área de risco de Febre Amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa grave

PUBLICIDADE
Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE
Delta Ativa

O Ministério da Saúde incluiu Ibirama como área de risco para a Febre Amarela. Devido a isso, a Secretaria de Saúde trabalha em uma campanha
de vacinação contra a doença, que ocorrerá em todas as unidades de saúde do município.

 

Entre os dias 17 e 31 de julho, adultos com até 59 anos e crianças com mais de nove meses, devem procurar uma das Unidades Básicas de Saúde do município para imunização. De acordo com a secretária de Saúde, Izabel Petersen, a campanha pode ser ampliada para todas as unidades pois a vacinação pode ser feita por enfermeiros. “As pessoas precisam tomar a vacina, pois é a forma mais segura de evitar que esta doença se espalhe”, afirmou. Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone 3357-8612.

 

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

 

Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente, mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos. O macaco não transmite a doença para os humanos, assim como uma pessoa não transmite a doença para outra. A transmissão se dá somente pelo mosquito. Os macacos ajudam a identificar as regiões onde estão acontecendo a circulação do vírus.

PUBLICIDADE