13/09/2018 16h40 - Atualizado em 13/09/2018 15h04

Celesc vai construir novo canal de captação de água do Rio Itajaí-Açu

A execução dos trabalhos de extensão exigirá de dois a três dias de interrupção parcial do fornecimento de água

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

O processo da troca de quatro comportas na Usina do Salto, em Blumenau, começou em junho e será retomado a partir da próxima semana. Para amenizar o impacto no abastecimento de água no município, a Celesc vai estender a tubulação de captação do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) até o reservatório. Com isso, será possível secar totalmente o canal para troca definitiva da estrutura centenária da usina.

 

A solução encontrada para reduzir o tempo de trabalho de oito para dois dias foi necessária para evitar que o Samae deixasse de fazer a captação de água no local. A execução dos trabalhos de extensão exigirá de dois a três dias de interrupção parcial do fornecimento de água na ETA II, responsável pelo abastecimento de 70% do sistema em Blumenau.

 

– A substituição das comportas atuais, em madeira, por comportas fabricadas em aço trará uma melhor dinâmica de trabalho, segurança e também possibilitará a manutenção preventiva. Além disso, ao longo do tempo permitir gerar mais energia – afirma o diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios da Celesc Geração, Régis Evaloir da Silva.

 

O primeiro dia de trabalho será na próxima terça-feira, das 5h às 22h. Durante este período, 70% da população de Blumenau poderá sofrer com o desabastecimento de água, retomando a normalização a partir das 22h. A próxima interrupção está prevista para 25 de setembro. Conforme a Celesc, se neste período não for finalizada a extensão do canal, os trabalham serão retomados após a Oktoberfest, em 23 de outubro.

 

Segundo o gerente de Manutenção do Samae, Guto Reinert, a estação vai parar por completo, pois não estará fazendo adução de água bruta. Porém, a expectativa é que as pessoas estejam com as caixas d’água cheias e os reservatórios também, o que deve evitar o problema de desabastecimento. De qualquer forma, o Samae orienta que nos dias que antecedem e sucedem os trabalhos, a população economize no consumo de água.

 

– O plano é fazer um formato que a gente possa fazer a adução de água, para que daí a Celesc tenha o tempo necessário para trocar as comportas – explica o gerente de Manutenção do Samae, Guto Reinert.

 

Para executar a obra, a Celesc vai investir R$ 1,048 milhão, valor definido por licitação, vencida por uma empresa de Herval d´Oeste. O investimento faz parte da manutenção da usina centenária e evitará novos desabastecimentos na região.

 

 

Fonte: NSC Santa/Samae Blumenau

PUBLICIDADE