17/07/2019 08h46

Tribunal cancela audiência prévia de Rodolfo, do Fluminense, que é suspenso preventivamente

Atleta é suspenso preventivamente

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

O primeiro encontro entre Rodolfo, do Fluminense, e o Tribunal de Disciplina da Conmebol foi cancelado. A audiência preliminar, marcada para a última segunda-feira, foi suspensa a pedido da defesa, que solicitou acesso aos documentos que irão embasar a denúncia por doping contra o goleiro.

 

O presidente do Tribunal de Disciplina no Paraguai, Eduardo Gross Brown, aceitou a solicitação e decidiu por suspender o goleiro preventivamente. Ele estava afastado de forma voluntária desde que a comissão antidopagem da Conmebol identificou uma substância proibida no corpo do atleta, suspeito de uso de cocaína.

 

 

Rodolfo abriu mão de contraprova após flagra — Foto: Lucas Merçon/FluminenseRodolfo abriu mão de contraprova após flagra — Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Rodolfo abriu mão de contraprova após flagra — Foto: Lucas Merçon/Fluminense

 

Além do cancelamento do encontro, a defesa de Rodolfo pediu o envio do pacote de documentos da amostra “A”, na qual consta o flagra por doping, e uma cópia do relatório analítico adverso. Assistido em primeiro momento exclusivamente pelo departamento jurídico do Fluminense, o atleta, agora, conta com o auxílio de um escritório particular custeado pelo clube, como revelou o GloboEsporte.com na última semana.

 

O pedido da defesa à Conmebol aconteceu na última sexta-feira, um dia depois de o Fluminense contratar o escritório de advocacia. Na reunião suspensa, Rodolfo não seria condenado e nem absolvido pelo Tribunal de Disciplina. A audiência preliminar tem como objetivo analisar as provas apresentadas e definir se o atleta desejaria o exame de contraporva. Como ele não quis usar este direito, ela perdeu o sentido de existir. Uma decisão sobre condenação ou absolvição sairá apenas no julgamento de fato, que deve demorar meses.

 

Rodolfo testou positivo para uma substância proibida no último dia 23 de maio, no duelo com o Atlético Nacional-COL, no Maracanã, pela Copa Sul-Americana. Após a decisão do Tribunal Disciplinar, o jogador terá direito a dois recursos, no Tribunal de Apelação, também da Conmebol, e na Corte Arbitral do Esporte, na Suíça. Enquanto tenta resolver a situação na Justiça, o goleiro teve o contrato suspenso pelo Fluminense.

PUBLICIDADE