10/10/2018 15h40 - Atualizado em 10/10/2018 13h43

Jornal: Real Madrid pressionou Cristiano Ronaldo a pagar ex-modelo após denúncia de estupro

Jogador será chamado para depor

PUBLICIDADE
Extra

Extra

PUBLICIDADE
Delta Ativa

A linha de defesa de Cristiano Ronaldo no caso da denúncia de estupro vai citar o Real Madrid na alegação. Conforme o jornal português “Correio da Manhã”, desta quarta-feira, os advogados do craque alegam que o clube madrilenho o pressionaram a pagar quantia de 375 mil euros a Kathryn Mayorga, em 2009.

 

“Um dos principais argumentos que o craque irá usar prende-se com o fato de ter sido pressionado pelo clube merengue a assinar o acordo e a pagar uma indemnização à norte-americana”, afirma a publicação.

 

 

O diário ainda relata que os “advogados dos merengues e do português reuniram-se várias vezes para delinear a melhor estratégia para responder ao caso” e que “contra a vontade de Ronaldo – que sempre se recusou a pagar, uma vez que garantia estar inocente – o documento acabou por ser finalizado em janeiro de 2010”.

 

No domingo, Cristiano Ronaldo viajou, em seu jatinho particular, para Lisboa, e fez uma reunião secreta com seus advogados para preparar a defesa no caso. Conforme o diário “Correio da Manhã”, o jogador foi visto no Sky Bar do Hotel Tivoli, juntamente com a namorada, Georgina Rodríguez, e quatro seguranças.

 

Jogador será chamado para depor

Um porta-voz da polícia de Las Vegas, Jacinto Ribera, assegurou que Cristiano Ronaldo não é acusado de nenhum crime. Isso ficou claro quando ele foi questionado sobre a investigação que paira sobre o craque da Juventus, após a denúncia de estupro da norte-americana Kathryn Mayorga, que foi reaberta na semana passada. As informações são do jornal italiano “Tuttosport”.

 

De acordo com o diário, a deverá ouvir Cristiano Ronaldo em breve. O porta-voz ainda aproveitou para desmentir as informações de que a polícia americana perdeu aprovas apresentadas pela ex-modelo em 2009, quando denunciou o caso.

 

“O mais provável é que Ronaldo seja ouvido como pessoa interessada no caso, não como arguido”, explicou Rivera, antes de desmentir a perda das provas do processo, algo que tinha sido afirmado pelo advogado de Mayorga, que não revelou se se trava do exame médico ou das roupas que a ex-modelo terá utilizado na noite da alegada violação.

 

A história foi revelada em março deste ano, mas voltou à tona na última sexta-feira, quando a revista alemã “Der Spiegel” conseguiu falar com a mulher, que revelou detalhes do episódio.

 

Em 2009, Cristiano Ronaldo, então uma estrela em ascensão, trocou o Manchester United pelo Real Madrid. Empolgado com a transferência para o time dos galáticos, ele foi com amigos para a cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos. Os festejos, no entanto, terminaram com uma denúncia de estupro contra o jogador. O caso foi encerrado com um acordo. CR7 aceitou pagar US$ 375 mil para que a vítima não levasse o caso a público.

PUBLICIDADE