13/09/2018 14h40 - Atualizado em 13/09/2018 13h48

Fora de combate desde o dia 25 de agosto, camisa 9 ainda não tem previsão de retorno

Fora de combate desde o dia 25 de agosto, camisa 9 ainda não tem previsão de retorno

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Dezenove dias após torcer o joelho direito, a serem completados nesta quinta-feira, Pedro continua o processo de recuperação sem saber quando terá condições de voltar a atuar pelo Fluminense.

 

E com incerteza quanto a necessidade de cirurgia para curar a lesão sofrida na derrota para o Cruzeiro. Um novo exame, ainda sem data, será fundamental para definir a questão.

 

Pedro, desde sábado, passou a fazer pequenos trabalhos nos gramados do CT do Fluminense. Tratam-se de corridas leves entre cones, algo liberado pelos médicos tricolores somente após o joelho ter desinchado.

 

Estes exercícios, sem contato com a bola, complementam uma rotina intensa de fisioterapia tanto no clube quanto em casa.

 

 

Pedro é retirado de maca do gramado do Mineirão — Foto: ARACELI SOUZA/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDOPedro é retirado de maca do gramado do Mineirão — Foto: ARACELI SOUZA/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

Pedro é retirado de maca do gramado do Mineirão — Foto: ARACELI SOUZA/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

 

Quem acompanha de perto a recuperação de Pedro é o fisioterapeuta Nilton Petrone, o Filé. Por vezes, ele foi até a casa do centroavante tratá-lo.

 

A possibilidade de cirurgia, porém, ainda existe. Na terça-feira seguinte ao jogador ter se machucado, Douglas Santos, chefe do departamento médico tricolor, disse esperar que o atacante voltasse a treinar em duas semanas e deu um prazo de 15 dias após a lesão para a realização de um novo exame.

 

Até esta quinta, passaram-se 19. E por ora não há data definida para a nova avaliação – verdade que, em comunicado anterior à coletiva do médico, o clube havia informado que o camisa 9 seria reavaliado entre duas e três semanas após a torção.

 

Desde que se machucou, Pedro não atuou diante de São Paulo, Vitória e Botafogo. Kayke, contratado do Bahia, assumiu a titularidade. A lesão diagnosticada, em um primeiro exame de imagem, foi estiramento nos ligamentos do joelho.

PUBLICIDADE