12/07/2019 17h00 - Atualizado em 12/07/2019 14h13

Ex-vascaíno cobre tatuagem da cruz-de-malta com escudo do Flamengo: ‘Feliz’

A mudança de clube resultou também em alguns presentes dos amigos flamenguistas

PUBLICIDADE
Extra

Extra

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Para atestar que a decisão de torcer pelo Flamengo era para valer, um ex-vascaíno de 32 anos, cansado com derrotas, cobriu sua antiga tatuagem de cruz-de-malta no braço direito com o escudo do clube rubro-negro.

 

— Cansei de ficar assistindo jogo até os 45 (minutos) do segundo tempo e tomar gol. É muito sofrimento. Um dia tinha que acabar — explicou ele ao EXTRA nesta sexta-feira. — Só de não ter sido rebaixado, alivia mais o coração, com certeza.

 

Embora essa mudança tenha ocorrido há três meses, um vídeo dele comentando o assunto, gravado nesta quarta-feira, viralizou pelas redes sociais.

 

As imagens mostram Gago, que preferiu não ter seu nome divulgado, tomando uma cerveja com os amigos enquanto um deles o questiona sobre a troca de time.

 

“Eu acordo feliz”, responde o flamenguista. “Não aguentei mais sofrer”. 

 

Em seguida, o autor do vídeo pergunta que recado ele dá para os vascaínos. A resposta de Gago contagiou usuários do Twitter, que compartilham a cena ressaltando sua dica: “pula que o muro tá baixo”.

 

Várias páginas rubro-negras postam sobre o fato e comemoram a escolha do rapaz, enquanto outros internautas o criticam pela mudança. Além do vídeo, foram publicadas também as fotos de Lira Tatuador, o profissional — que é flamenguista — responsável pela alteração na pele do torcedor.

 

 

 

Gago contou que, quando era criança, queria torcer pelo Flamengo, mas foi influenciado por sua família a optar pelo Vasco. Mas, como diz o hino do time rubro-negro, “uma vez Flamengo, sempre Flamengo”.

 

— O meu pai, que é Vasco doente, reclamou um pouco, mas aceitou. Minha mãe é flamenguista, minha esposa também. Elas receberam críticas na rua dos colegas que são vascaínos — relatou ele.

 

Frequentador do bar do Flamengo, na Vila Aliança, na Zona Oeste do Rio, antes mesmo de anunciar sua troca de time, Gago contou que um homem do estabelecimento o viu “reclamando muito” durante um jogo e apostou: “se você apagar essa tatuagem, eu pago”.

 

— A intenção em cobrir a tatuagem era minha mesmo, mas ele juntou o útil ao agradável — disse.

 

A mudança de clube resultou também em alguns presentes dos amigos flamenguistas.

 

— Há meses que não pago nada em churrasco, estou bebendo de graça. Ganhei até camisa. Só falta ganhar dinheiro com isso — contou Gago, em meio a risadas.

PUBLICIDADE