13/08/2019 08h32

Europa, Seleção e Fluminense: lesão de Pedro é leve, mas vem novamente em momento crucial

Atacante ficará apenas três semanas fora em razão de problema muscular

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

O mês de agosto e a cidade de Belo Horizonte não geram boas recordações para Pedro. Quase um ano depois de sofrer a grave lesão no joelho em uma partida contra o Cruzeiro, o atacante do Fluminense voltou a se machucar em terras mineiras. Desta vez sofreu uma lesão na coxa direita diante do Atlético-MG no último sábado.

 

Guardadas as devidas proporções – afinal, a contusão atual é muito mais leve que a do ano passado -, a lesão de Pedro acontece mais uma vez em um período crucial do ano tanto para o jogador, que tem pretensões de futebol europeu e Seleção, quanto para o clube, que vê o atacante como principal ativo para uma venda que possa trazer alívio financeiro para o restante da temporada. O Tricolor ainda tem um mês de CLT pendente, algumas parcelas de direitos de imagem e o 13º salário de 2018 e busca soluções para melhorar seu fluxo de caixa.

 

Em 2018…

No ano passado, Pedro se machucou quando havia acabado de ser convocado pela primeira vez para a Seleção – acabou sendo cortado. Além disso, a lesão atrapalhou também a ida do atacante para o Real Madrid. A negociação, feita ainda na gestão de Pedro Abad, estava encaminhada e seria efetivada por € 18 milhões mais bônus de performance de até € 6 milhões. O Flu, dono de 50% dos direitos econômicos do jogador, receberia € 10 milhões no ato e ainda poderia ganhar mais € 2 milhões do bônus no futuro.

 

 

Na época, a direção contava com a venda do atacante (que ainda terminaria a temporada no clube) para resolver as pendências salariais e ter um fim de ano mais tranquilo financeiramente. A não concretização do negócio atrapalhou o planejamento da gestão, que precisou buscar outras fontes de renda para “fechar” o ano.

 

Uma delas acabou sendo a venda de João Pedro para o Watford por € 2,5 milhões + bônus de até € 7,5 milhões. Valor muito criticado por boa parte dos torcedores e que ainda não foi suficiente para fechar a conta de 2018. Com penhoras de 15% em qualquer receita, o Flu ainda negociou outros atletas como Richard, Leo Pelé e Ayrton Lucas para poder chegar com salários em dia à última rodada do Brasileirão.

 

Voltando a 2019…

A previsão é de que Pedro fique ao menos três semanas longe dos gramados, retornando no início de setembro. Justamente quando se encerram as janelas de transferências das principais ligas europeias (com exceção da inglesa, que já está fechada).

 

Ou seja, a nova lesão pode atrapalhar mais uma vez uma possível venda do atacante, já que novos interessados não terão a oportunidade de vê-lo em ação neste período. Até o momento, a Fiorentina (Itália) e o CSKA (Rússia) foram os clubes que manifestaram maior interesse no camisa 9 e estudam fazer propostas para adquiri-lo.

 

Além disso, no dia 16 de agosto há uma convocação da seleção brasileira para amistosos e Pedro tem a expectativa de voltar a ter uma oportunidade. O nome do atacante não é presença certa na lista, mas é possível afirmar que ele voltou ao radar de Tite, que gosta muito de seu futebol, e vinha sendo observado. Como os jogos da Seleção são apenas em outubro, há tempo hábil de Pedro voltar. Mas a ausência neste intervalo pode pesar.

 
 

Pedro em ação pela seleção olímpica do Brasil no Torneio de Toulon — Foto: Fernando Torres / CBFPedro em ação pela seleção olímpica do Brasil no Torneio de Toulon — Foto: Fernando Torres / CBF

Pedro em ação pela seleção olímpica do Brasil no Torneio de Toulon — Foto: Fernando Torres / CBF

 

A inatividade de Pedro em agosto acaba diminuindo também o poder de barganha do Fluminense. A atual gestão, do presidente Mário Bittencourt, tinha como objetivo receber ao menos € 15 milhões pelos 50% de direitos econômicos que detém do atacante. E boas exibições com a camisa do Fluminense e uma convocação para a Seleção, com certeza poderiam valorizar ainda mais o jogador.

 

As próximas semanas serão cruciais para definir o destino de Pedro. A ver se Fiorentina e CSKA concretizarão propostas pelo atacante e se novos interessados surgirão. A ver também se a lesão pode influenciar ou não em uma possível convocação de Tite. Ao retornar aos gramados no começo de setembro, o centroavante poderá estar vestindo a camisa do Fluminense, de um clube europeu ou quiçá da Seleção.

PUBLICIDADE