11/01/2019 13h30 - Atualizado em 11/01/2019 09h46

À espera da primeira chance, Rafael Pereira quer ano melhor: “Para mim e para a Chape”

Contratado no meio da última temporada, zagueiro de Taió ainda não atuou

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Rafael Pereira chegou à Chapecoense no fim de julho e terminou o restante da temporada 2018 sem atuar. Ficou no banco de reservas como opção e acompanhou fora do gramado a luta pela permanência na elite. Com a chegada de um novo ano, os votos do zagueiro também se renovaram.

 

Integrado à pré-temporada, Rafael espera a primeira oportunidade. No calendário apertado, estadual, Copa do Brasil e Sul-Americana, uma sequência dura e que o experiente defensor sabe que exigirá do elenco.

 

 

Rafael Pereira ainda não jogou na volta à Chapecoense — Foto: Sirli Freitas/ChapecoenseRafael Pereira ainda não jogou na volta à Chapecoense — Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Rafael Pereira ainda não jogou na volta à Chapecoense — Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

 

– Espero que 2019 seja muito melhor que 2018, para mim e para a Chapecoense. Vamos fazer um grande ano, esperamos conquistar os nossos objetivos nesse ano de 2019, temos vários jogos importantes nesse começo de temporada, Catarinense, Sul-Americana, focados, trabalhando bastante para que possamos começar bem – disse.

 

A última temporada não foi simples. Passar quatro meses sem jogar não é de longe o desejo de um atleta, mas Rafael tentou contribuir de outras maneiras. O apoio e a confiança, garante, não faltaram.

 

 

Rafael Pereira participou da reserva da campanha da Chapecoense na permanência na Série A — Foto: Sirli Freitas/ChapecoenseRafael Pereira participou da reserva da campanha da Chapecoense na permanência na Série A — Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Rafael Pereira participou da reserva da campanha da Chapecoense na permanência na Série A — Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

 

– Foi um pouco difícil para mim, saí do Ceará como um dos capitães, titular e vim para ajudar a Chapecoense naquele momento. Sempre estive à disposição, trabalhei, treinando e tentando ajudar da forma que dava, conversando com os companheiros, motivando e sempre tive a certeza que conseguiríamos escapar. Tínhamos uma amizade muito grande, uma família. Quando o Claudinei chegou, isso se fortaleceu muito, nos fechamos – recordou.

 

Catarinense, Rafael Pereira veste a camisa da Chapecoense pela segunda vez. A primeira foi em 2005, na disputa do Campeonato Catarinense, quando o Verdão não estava em nenhuma divisão nacional.

 

– A relação com Santa Catarina sempre foi muito boa, eu sou de Taió, então a minha base foi em Joinville e depois pude jogar em vários clubes do estado e agora mais feliz que nunca em defender as cores da Chapecoense – finalizou.

PUBLICIDADE