13/03/2018 11h02 - Atualizado em 13/03/2018 11h04

Entenda o que Tite vê em Willian José, único novato da lista da seleção brasileira

Até fratura recente foi relevada

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Entre os 25 convocados para os amistosos contra Rússia e Alemanha, apenas um jamais vestiu a camisa da seleção brasileira principal. Trata-se do atacante Willian José. Mas por que, a três meses da estreia na Copa do Mundo, Tite abriu as portas para um novato? E por que ele?

 

 

No futebol brasileiro, o centroavante atuou profissionalmente por Grêmio Barueri, São Paulo, Grêmio e Santos. Deixou o país rotulado por suas limitações, mas as recentes observações da comissão técnica da Seleção comprovaram o que indicam seus números nas últimas temporadas: Willian José se tornou um jogador bem mais completo e decisivo na Real Sociedad.

 

Willian José comemora gol pela Liga Europa (Foto: Georgi Licovski/EFE)Willian José comemora gol pela Liga Europa (Foto: Georgi Licovski/EFE)

Willian José comemora gol pela Liga Europa (Foto: Georgi Licovski/EFE)

 

– Willian José faz duas grandes temporadas na Real Sociedad, desenvolvimento grande como atleta, com jogo combinado. O objetivo é ter opções, jogadores de características diferentes, um pivô, mas com mobilidade. Ele é alto, mas se movimenta e cabeceia muito. Tem números bons em campeonatos importantes – atestou Tite em sua entrevista

 

Willian José em 2017/18 (Campeonato Espanhol + Liga Europa):

  • 30 jogos (28 como titular)
  • 17 gols
  • Gol ou assistência a cada 123 minutos
  • 711 passes (79,5% de aproveitamento)
  • 61 passes longos (65,5% de aproveitamento)
  • 35 passes para finalizações
  • 18 dribles completados
  • 94 finalizações (47,4% de aproveitamento)
  • 43 disputas aéreas ganhas (50% de aproveitamento)

 

Por que Tite convocou um novato às vésperas da Copa do Mundo?

Porque o técnico se ressente de um atacante que tenha a mesma posição de Gabriel Jesus e Roberto Firmino, ou seja, a de centroavante, porém execute outra funções, com características distintas. Até então, Tite só havia tentado isso com Diego Souza, agora no São Paulo, e com chances escassas de disputar o torneio na Rússia, no meio do ano.

 

O que Gabriel Jesus tem? Muita força, capacidade de segurar a bola sem perdê-la para os zagueiros enquanto o restante do time se aproxima, bom pivô e posicionamento preciso para fazer gols de primeira ou com poucos toques na bola.

 

O que Roberto Firmino tem? Inteligência para participar do “jogo apoiado”, ou seja, as triangulações e tabelas na construção do lance ofensivo. Ele sai bastante da área e tem movimentação natural para voltar à posição de centroavante e finalizar.

 

 

Por que Willian José?

Tite deseja uma espécie de fusão dos dois. O atacante da Real Sociedad tem força, mas melhorou muito nesse jogo apoiado. Isso chamou a atenção da comissão técnica nas observações recentes. Ele tem conseguido jogar fora da área. Quando o centroavante é mais “grosso”, a jogada morre nele. Ou é gol, ou o adversário rouba a bola. Willian José tem dado sequência aos lances.

 

Nos gifs abaixo, é possível ver qualidade quando o camisa 12 participa fora da área, com assistências açucaradas.

 

 

Contra o Osasuna, em fevereiro de 2017... (Foto: Reprodução / YouTube)Contra o Osasuna, em fevereiro de 2017... (Foto: Reprodução / YouTube)

Contra o Osasuna, em fevereiro de 2017… (Foto: Reprodução / YouTube)

 

Contra o Barcelona, em abril de 2017... (Foto: Reprodução / YouTube)Contra o Barcelona, em abril de 2017... (Foto: Reprodução / YouTube)

Contra o Barcelona, em abril de 2017… (Foto: Reprodução / YouTube)

 

Contra o Celta, em agosto de 2017... (Foto: Reprodução / YouTube)Contra o Celta, em agosto de 2017... (Foto: Reprodução / YouTube)

Contra o Celta, em agosto de 2017… (Foto: Reprodução / YouTube)

 

... E contra o Deportivo, em fevereiro de 2018 (Foto: Reprodução / YouTube)... E contra o Deportivo, em fevereiro de 2018 (Foto: Reprodução / YouTube)

… E contra o Deportivo, em fevereiro de 2018 (Foto: Reprodução / YouTube)

 

A aprovação foi tamanha que o jogador estará nos próximos amistosos mesmo tendo ficado um período crucial afastado dos gramados. No dia 9 de fevereiro, ele teve uma fratura por estresse no quarto metatarso do pé esquerdo, e acabou ficando fora da equipe nos dois jogos a que Sylvinho, um dos auxiliares de Tite, iria assistir no estádio.

 

O centroavante voltou a atuar no dia 4 de março, e fez um gol. Repetiu a dose no último fim de semana. Tão perto da Copa do Mundo e sem mais tempo para analisar alternativas táticas, Tite admitiu que colocou a necessidade da equipe acima dessa circunstância.

 

– Às vezes convoco um atleta que não está no melhor de sua condição. O Willian José ficou parado em torno de 12 dias, mas vinha bem antes, o Sylvinho ia acompanhar o jogo. A característica e sua sequência são muito boas. Talvez ele não merecesse, mas a necessidade e o que ele fez no passado me fizeram trazer para eu ter a oportunidade de observar – afirmou o treinador.

 

Jogo aéreo

Outro aspecto que pode contar pontos importantes a favor do atacante de 26 anos são as cabeçadas. Ele tem 1,89m, e Tite está preparando sua Seleção para enfrentar um tipo de jogo que pode obrigá-lo a apelar para cruzamentos. Nem Jesus nem Firmino são especialistas em receber bolas aéreas da linha de fundo e cabeceá-las em direção ao gol.

 

Contra equipes que se posicionam com uma primeira linha de cinco defensores na marcação, Tite pretende usar o jogo pelos lados para tentar abrir espaços de penetração. E bola na linha de fundo muitas vezes termina em cruzamento. Num jogo em que esse tipo de lance se tornar frequente, ter um atleta como Willian José no banco de reservas acaba se tornando um trunfo.

 

– Se tu pega uma linha de cinco com uma de quatro à frente, em alguns momentos, com um balanço da bola, infiltra pelo lado para gerar cruzamentos, e aí precisa ter um grande cabeceador, de imposição. Criar essa possibilidade é um dos objetivos de Willian José, Jô, ou algum que possa estar num grande momento – elogiou Tite.

 

Na temporada 2016/17 da liga espanhola, o novato da Seleção fez sete gols de cabeça, primeiro do ranking nesse quesito. Na atual, quatro de seus 12 gols foram marcados dessa forma.

 
 
 

 (Foto: Infoesporte) (Foto: Infoesporte)

(Foto: Infoesporte)

PUBLICIDADE