13/06/2018 12h30 - Atualizado em 13/06/2018 08h56

Em alta, Diego Alves e defesa do Flamengo podem atingir marcas expressivas contra o Palmeiras

A regularidade da defesa não se resume à sequência atual

PUBLICIDADE
Extra

Extra

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Formado por xodós da torcida e estrelas — como Vinícius Junior e Diego —, o setor ofensivo rouba as atenções da torcida do Flamengo. Mas a defesa também tem dado motivos para ser considerada responsável pela boa campanha do time. O líder do Brasileiro se defende tão bem quanto ataca. Uma prova disso é que está há cinco rodadas sem sofrer gols. Esta boa fase será posta à prova nesta quarta, contra o Palmeiras, às 21h, em São Paulo.

 

A última vez que o Flamengo teve sua meta vazada foi no empate em 1 a 1 com o Vasco, há 25 dias. O período sem sofrer gols no Brasileiro é o maior desde a edição de 2009, quando passou seis rodadas intacto. Ou seja: se escapar do ataque palmeirense, o Rubro-negro repetirá a mesma marca do último ano em que sagrou-se campeão.

 

 

A regularidade da defesa não se resume à sequência atual. Desde o início do Brasileiro, foram apenas seis gols sofridos. Em 11 jogos, o time de Maurício Barbieri saiu de campo oito vezes sem ser vazado, o que equivale a 72,7% das partidas. Para se ter uma ideia desta marca, o Corinthians, que se destacou em 2017 pela segurança no setor, foi campeão com 47,3%.

 

No sistema defensivo de Barbieri, todos os jogadores tem contribuído para este desempenho. Mas Diego Alves se destaca individualmente. Hoje, o goleiro pode atingir uma marca histórica. Há 512 minutos sem ser vazado, ele está perto de ultrapassar Cantarele como o dono da maior sequência sem gols na história do clube (630 minutos, em 1974).

 

— Não vai ser fácil. Sabemos dos riscos, do grande time do Palmeiras. Mas estamos na liderança — comentou Cuéllar, outra peça-chave do sistema defensivo.

PUBLICIDADE