12/08/2019 12h30 - Atualizado em 12/08/2019 08h54

Em alta com Jesus, Gerson usa versatilidade para suprir carência no Flamengo: “Jogo em todas”

Ele se oferece para ser o tradutor de Balotelli no clube

PUBLICIDADE
Globo Esporte

Globo Esporte

PUBLICIDADE
Delta Ativa

A vitória sobre o Grêmio por 3 a 1, sábado, no Maracanã, foi apenas o sexto jogo de Gerson pelo Flamengo, mas ele já conseguiu deixar animados até os mais pessimistas, que desconfiaram do alto valor pago pelo clube ao Roma – € 11,8 milhões (cerca de R$ 49,7 milhões).

 

Por causa das lesões de jogadores como Diego, Arrascaeta e Everton, ele não teve muito tempo de preparação após as férias. Precisou ser utilizado logo de cara, mas correspondeu desde a estreia.

 

Neste início, Gerson mostrou uma característica importante: a versatilidade. Contratado inicialmente para ser um segundo volante, já atuou pela direita, esquerda, centralizado, avançado… O melhor rendimento, no entanto, parece ser quando fica mais pela direita e tem a chance de cortar para o meio e utilizar a potente perna esquerda.

 

– É verdade. Mas faz assim: pode me chamar de curinga, eu jogo em todas as posições – avisou após o jogo contra o Grêmio.

 

 

Jorge Jesus chamou. Contra o Grêmio, Gerson foi um dos melhores em campo e recebeu elogios do treinador, que destacou a evolução do jogador na passagem que teve na Europa.

 

– Ele tem 22 anos. Não entendo como deixaram voltar da Itália. Não é novidade para mim. Não deram nada pelo Gerson, mas é um grande jogador. É o nosso joker (curinga). Taticamente muito evoluído. Seja onde for, tem influência – disse Jesus.

 

Contra o Grêmio, ele e Arrascaeta foram os mais visados em campo: ambos sofreram quatro faltas. Gerson errou apenas dois passes durante a partida e teve duas finalizações. Uma delas no travessão, em um lance parecido com o gol que marcou contra o Botafogo.

 

– Infelizmente a bola não entrou, mas pelo menos a vitória veio. Quando se está em um ambiente bom e que você se sente à vontade, você consegue desenvolver seu trabalho da melhor maneira possível. Quando entro em campo e a torcida começa a gritar, me arrepio na hora. Eu era torcedor, estava do lado de lá. É a maior do mundo, não tem como explicar – disse o meio-campista.

Italiano afiado para receber Balotelli

Gerson também não escapou de responder sobre o assunto do momento: o desejo do Flamengo de contratar o atacante Mario Balotelli. Com seus anos de experiência na Itália, ele se ofereceu para ser o tradutor no dia a dia.

 

– Eu já seguia ele antes (no Instagram), sempre acompanhei a carreira. Se ele vier e precisar de uma ajuda… O italiano tá afiado (risos). Vou ser o tradutor – afirmou.

 

O Flamengo é o terceiro colocado do Brasileiro com 27 pontos, e no próximo sábado mede força com o Vasco. O clássico será disputado no Mané Garrincha, em Brasília. Na próxima quarta, o time volta ao Maracanã, desta vez pela Libertadores, para o confronto com o Internacional pelas quartas de final.

PUBLICIDADE