06/12/2019 14h00 - Atualizado em 06/12/2019 11h09

Cruzeiro depende de combinação de resultados para se salvar; veja cenário da rodada final

Com derrota para o Grêmio no Rio Grande do Sul, Raposa segue em 17º lugar, e briga contra o Ceará

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

Com a derrota por 2 a 0 para o Grêmio, nesta quinta-feira, o Cruzeiro não tem outra alternativa para evitar o rebaixamento inédito à Série B: é vencer o Palmeiras, no Mineirão, e torcer por uma derrota do Ceará para o Botafogo, no Nilton Santos. Ambos os jogos, válidos pela 38ª rodada do Brasileirão, serão às 16h de domingo. Essa é a única combinação de resultados que salva a Raposa.

Com quatro derrotas seguidas, o Cruzeiro está estacionado no 17º lugar, com 36 pontos, dois a menos que o Ceará, que foi derrotado pelo Corinthians, em casa, nessa quarta-feira.

 

O grande problema do Cruzeiro no campeonato é o número de vitórias. Foram apenas sete em 37 rodadas. O Ceará tem dez triunfos. Sendo assim, se o Vozão empatar com o Botafogo, a Raposa estará automaticamente rebaixada, mesmo se vencer seu jogo (neste cenário, os dois times empatariam em pontos, mas o Cruzeiro perderia no primeiro critério de desempate: número de vitórias).

 

Para a partida decisiva de domingo, o técnico Adilson Batista não poderá contar com Egídio, Edilson e Ariel Cabral, que levaram o terceiro cartão amarelo diante do Grêmio. O lateral-esquerdo ainda foi expulso no fim da partida. Robinho saiu machucado e também não joga contra o Palmeiras.

 

Somando derrotas e empates, o Cruzeiro já acumula oito rodadas de jejum no Campeonato Brasileiro, sendo que marcou apenas dois gols neste período. O último foi marcado por Orejuela, na goleada para o Santos, por 4 a 1, na 34ª rodada. Desde então, foram três jogos de seca.

 
PUBLICIDADE