15/10/2019 08h48

Cristiano Ronaldo marca o 700º gol da carreira, mas Portugal perde para a Ucrânia

O craque português tem agora 95 gols pela seleção

PUBLICIDADE
Extra

Extra

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Enfim, saiu o esperado 700º gol de Cristiano Ronaldo (em 976 partidas) como profisisonal. Mas o craque não evitou a derrota para a Ucrânia, por 2 a 1, pelas eliminatórias da Euro-2020. A vitória classificou os anfitriões ao torneio. O país lidera o Grupo B, com 19 pontos em sete partidas.

 

O craque português tem agora 95 gols pela seleção, além de 450 pelo Real Madrid, 118 pelo Manchester United, 32 pela Juventus, seu atual clube, e outros 5 pelo Sporting.

 

CR7 fez o gol de pênalti, aos 28 minutos do segundo tempo. Àquela altura, os visitantes já perdiam por 2 a 0 (gols de Yarmolenko e Yaremchuk). Aos 46, por muito pouco o artilheiro não garante o empate, em cabeçada, mas o goleiro Pyatov fez ótima defesa. No minuto seguinte, Danilo Pereira carimbou o travessão dos ucranianos.

 

Apesar da derrota, os portugueses, vice-líderes do Grupo B, com 11 pontos em seis jogos, só dependem de si para garantir a vaga à Eurocopa. Na próxima rodada, no dia 14, a seleção recebe a lanterna Lituânia. No mesmo dia, a Sériva (10 pontos) recebe Luxemburgo (4).

 

Na última rodada, os sérvios recebem a Ucrânia e Portugal visita Luxemburgo.

 

Cantos racistas na Bulgária

A nota triste da rodada das eliminatórias aconteceu em Sofia, capital da Bulgária. Parte da torcida local fez gestos nazistas e entoou cantos racistas na goleada por 6 a 0 imposta pela Inglaterra.

 

O jogo chegou a ser interrompido duas vezes. Os primeiros cantos racistas aconteceram em torno dos 35 minutos da etapa inicial. O repórter de uma emissora de TV inglesa relatou ter ouvido som de macados quando Mings e Rashford estavam com a bola.

 

Harry Kane, capitão inglês relatou o ocorrido ao árbitro croata Ivan Bebek, enquanto o técnico Gareth Southgate falou com o delegado do jogo. Foi anunciado que a partida poderia ser suspensa, caso os gritos continuassem, e a torcida respondeu com vaias.

 

Ivelin Popov, capitão búlgaro, pediu que os torcedores parassem. Mas não pararam. Na etapa final, os gritos racistas também foram direcionados a Sterling.

 

A Football Association (FA) manifestou-se através de um porta-voz:

 

– A FA pode confirmar que jogadores da Inglaterra foram submetidos a abomináveis cânticos racistas enquanto jogavam pelas eliminatórias da Euro contra a Bulgária. Isso é inaceitável em qualquer nível do jogo e nosso foco imediato é apoiar os jogadores e staff envolvidos. Como nós infelizmente estamos cientes, esta não é a primeira vez que nossos jogadores são submetidos a esse nível de abuso e não há lugar para esse tipo de comportamento na sociedade, muito menos no futebol, e pediremos à Uefa para investigar com urgência.

PUBLICIDADE