14/09/2018 10h20 - Atualizado em 14/09/2018 08h25

Acusada de vender drogas, lutadora do UFC é punida até 2044

Ela tem duas lutas pela organização

PUBLICIDADE
Canal Combate

Canal Combate

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Acusada, em 2012, de venda e distribuição de drogas em bares, boates e academias, a lutadora do UFC Mara Romero Borella, foi suspensa pelo Comitê Olímpico Italiano, em 2014, por 15 anos (até 2029), sob o artigo 2.7 do código da WADA (Agência Mundial Antidopagem), que trata do tráfico de substâncias proibidas. Entretanto, o pesadelo é ainda maior.

 

 

Neste ano, Borella foi acusada pela Agência Italiana Antidoping após mais duas violações: contravenção por competir enquanto suspensa e proibição do uso de instalações esportivas do país enquanto cumpria a pena. Ela recebeu mais um gancho de 15 anos – passando de 2029 para 2044 o término a punição.

 

Por ora, o destino de Borella no UFC é incerto, pois como a organização não segue as regras da WADA, a atleta pode não ser afetada no octógono pela punição.

PUBLICIDADE