12/10/2017 08h30

Não ria: menino de 8 anos engole apito na Argentina

De certa forma, o menino teve sorte

PUBLICIDADE
HypeScience

HypeScience

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Não importa quão ruim esteja seu dia, ele provavelmente não está pior do que o desse garoto de oito anos da Argentina, que inalou um pedaço de brinquedo para animais de estimação. Com cada respiração profunda que o garoto dá, o apito faz um som triste – porém bem engraçado.

 

Um vídeo do paciente foi filmado na sala de espera do hospital e postado no Facebook por seu médico, Santiago Gomez Zuviria, para aumentar a conscientização sobre os perigos que os pequenos objetos representam para as crianças.

 

“Minha única intenção era fazer meus contatos conscientes dos riscos aos quais as crianças mais pequenas são expostas com o uso de brinquedos que não devem ser qualificados para o marketing”, ele escreveu em uma postagem posterior no Facebook.

 
 

 

De certa forma, o menino teve sorte – o item que ele inalou permite a passagem de ar, não importa quão estridente seja essa passagem.

 

Este é o raciocínio por trás de tampas de caneta que têm buracos – muitas pessoas mastigam tampas de canetas, e se alguém sem querer engolir uma e ela ficar presa em sua traquéia, é muito mais propenso a sobreviver se houver buracos para o fluxo do ar.

 

Isto é particularmente importante para as crianças, que estão dispostas a colocar muitos itens estranhos na boca. De acordo com o Departamento de Saúde do Estado de Nova York, mais de 12.000 crianças são hospitalizadas todos os anos por engasgar com alimentos.

 

A ingestão de objetos também é um problema – as baterias e ímãs são particularmente perigosos, as primeiras porque podem causar queimaduras severas no tecido e os ímãs porque, se mais de um ímã é engolido, podem danificar o intestino atraindo-se através das entranhas.

 

Buracos não garantem a segurança. Em um caso trágico em Odisha, na Índia, um garoto de sete anos engoliu um apito e sobreviveu durante 48 horas com ele alojado em sua laringe, mas acabou sufocando até a morte.

 

O grande problema é que, uma vez que algo fica preso lá embaixo, você não pode apenas tossir. Felizmente, o caso do garoto argentino só exigiu um anestésico local para remover o pequeno pedaço de plástico de sua traquéia.

 

Mas a boa notícia é que ele agora deve ter uma recuperação completa – e ainda ganhou um vídeo para mostrar como advertência um dia para seus filhos. [Science Alert]

PUBLICIDADE