06/12/2018 09h50 - Atualizado em 06/12/2018 09h52

James? Mary? Ou Elsa? Os nomes de bebês mais populares dos EUA nos últimos 100 anos

Site reúne informações e gráficos sobre os registros de bebês norte-americanos desde 1910 até hoje

PUBLICIDADE
Portal Sempre Família

Portal Sempre Família

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Alguns nomes se tornam mais ou menos populares conforme certas tendências vêm e vão. Outros, porém, resistem ao teste do tempo e permanecem populares durante décadas. E é para observar essas tendências que o time de desenvolvedores da empresa norte-americana Ceros agrupou os dados de registros dos Estados Unidos desde 1910 e criou uma ferramenta que mostra a popularidade de cada nome ao longo do tempo.

 

Na ferramenta Hello My Name Is, é possível observar, por exemplo, que o nome Adolf, que contou com algumas dezenas de registros entre 1912 e 1940, nunca mais foi posto em um bebê norte-americano a partir de 1941 – quando as atrocidades do nazismo já eram óbvias. Já Elvis, que deu nome a apenas 5 meninos em 1953, chegou a um pico de 576 em 1957, quando Elvis Presley já era um sucesso internacional, e ainda demonstrou fôlego em 1977, ano da morte do cantor, e no ano seguinte. Leonardo está em franca ascensão desde 1998, um ano após Leonardo di Caprio atingir o estrelato com Titanic.

 

Já Therese, que batizou 163 meninas em 1923, deu nome a 758 e 819 meninas respectivamente em 1926 e 1927 – os anos seguintes aos da canonização de Santa Teresa do Menino Jesus, conhecida em inglês como Saint Therese, uma das santas mais populares dos últimos séculos. Madonna, por sua vez, passou de 6 meninas em 1984 para 96 no ano seguinte, quando a cantora já estava alçada à fama. Elsa experimentou um boom enorme em 2014, um ano após o lançamento do filme Frozen – chegou a 1.105 meninas, mais que o dobro do ano anterior.

 

Entre todos, o nome que parece ter o sucesso mais duradouro é James, que aparece como um dos dez nomes mais populares de cada ano em 86 dos 106 anos cobertos pelo levantamento. Em seguida vem Robert (80 anos no top 10), William (79 anos), John (78) e Michael (74). Só em sexto lugar aparece um nome feminino – Mary, 64 anos no top 10. É possível que isso se deva ao fato de ser bastante comum dar o mesmo nome do pai ao filho, enquanto o contrário não costuma acontecer. Assim, os nomes femininos variariam mais ao longo do tempo. Outros nomes femininos populares ao longo desse período, depois de Mary, foram Patricia, Elizabeth, Jennifer e Linda.

 

Do outro lado do ranking, os nomes menos populares se caracterizam por serem formas de escrever diferenciadas, como Davi (em inglês, o comum é David), Jourdan (de Jordan) e Ahron (de Aaron). Entre as meninas, encabeçam a lista de menos populares Zipporah, Mikaylah e Kassi.

 

Existe uma ferramenta similar para pesquisar a popularidade dos nomes no Brasil, oferecida pelo próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na plataforma Nomes no Brasil, a diferença é que os dados são mostrados em intervalos de 10 em 10 anos, porque correspondem às informações levantadas em cada censo. A ferramenta permite pesquisar também por estado e município.

PUBLICIDADE