12/09/2019 09h44 - Atualizado em 12/09/2019 09h46

Homem simula própria morte para fugir de plano da esposa

Quando viu a foto, Lulu foi presa em flagrante pelo agente disfarçado que a apresentou a imagem

PUBLICIDADE
Yahoo!

Yahoo!

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Ramon Sosa saiu de seu processo de divórcio com uma história curiosa e macabra para contar. Em entrevista à CBS News, dos Estados Unidos, ele contou que precisou fingir a própria morte para desmascarar um plano da então esposa, Maria “Lulu” Sosa, para matá-lo.

 

Ele, que é dono de uma rede de academias de boxe em Houston, nos Estados Unidos, afirmou que descobriu o plano muito antes dele ser colocado em prática. Decidiu pagar para ver e que queria, acima de tudo, colocar a esposa na cadeia.

 

“Aqueles momentos logo depois de eu descobrir a intenção dela [de matá-lo] foram surreais. É claro que eu não quis acreditar no começo, mas me apresentaram provas. Quando aquilo se tornou uma realidade, eu fiquei com raiva, triste e confuso”, conta Sosa.

 

Acontece que o plano de Lulu passava por Gustavo, suposto assassino de aluguel e… membro de uma das academias de Ramon. Ao saber do plano da mulher, o próprio Ramon fez com que Gustavo se passasse por assassino e pedisse US$ 1,500 para executar o plano.

 

Plano B

As gravações feitas por Sosa e seu amigo não foram suficientes para a polícia prender Lulu e, então, a dupla foi além. Quem entrou na história foi o FBI, famosa agência de inteligência dos Estados Unidos.

 

O dono da rede de academias foi maquiado de forma que parecesse que ele havia levado um tiro na cabeça. Foi arrumado em uma vala e fotografado pelos agentes do FBI em imagem enviada para Lulu.

 

“Foi de gelar o sangue. É indescritível. Essa foto reflete, até hoje, uma das coisas mais difíceis que eu tive que fazer em minha vida”, disse Sosa.

 

Quando viu a foto, Lulu foi presa em flagrante pelo agente disfarçado que a apresentou a imagem. A história, que Ramon revelou agora, aconteceu em 2016 — desde então, Lulu cumpre pena de 20 anos de reclusão.

 

“Eu nunca pensaria que ela ia querer me matar. Nosso divórcio estava sendo difícil, e nós brigávamos, mas este nível de violência nunca passou pela minha cabeça”, afirmou Ramon.

PUBLICIDADE