11/12/2019 11h12

Ex-Pânico, Amanda Ramalho prepara série de TV sobre saúde mental

Segundo ela, o veículo em que a atração será exibida ainda não está definido

PUBLICIDADE
Por: Por Fernanda Lopes - Yahoo!

Por: Por Fernanda Lopes - Yahoo!

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Em 2019, Amanda Ramalho conseguiu um feito: desconstruiu sua imagem na mídia e construiu um novo trabalho do zero. Conhecida durante muitos anos como uma das integrantes do controverso programa ‘Pânico’, agora ela não faz mais parte da atração e é dona do podcast ‘Esquizofrenoias’, em que fala, de forma descontraída e sincera, sobre saúde mental. Para 2020, os planos dela são de falar ainda mais sobre o assunto e para mais gente, já que o ‘Esquizofrenoias’ vai virar série de TV.

 

Amanda, com 33 anos, convive com condições como depressão e ansiedade desde a infância. Ela foi diagnosticada aos 16 anos, quando sentia o coração disparar, fazia exames que não davam nada e não sabia identificar qual era o problema.

 

Desde então, além do tratamento, foi crescendo nela a consciência sobre o que sentia e a vontade de compartilhar com outras pessoas uma troca de ideias e conhecimento sobre saúde mental. 

 

 

“Como eu já convivo com um diagnóstico há quase vinte anos, eu imaginava que as pessoas já estivessem mais acostumadas a falar do assunto. O podcast tem um ano só e percebo que, quanto mais falamos de maneira natural [sobre saúde mental], mais precisamos falar, pois infelizmente podcast ainda é para um público bem específico. Vejo um longo e trabalhoso caminho pela frente, mas um caminho de esperança”, diz ela.

 

Nesse período de um ano, Amanda já conversou com profissionais e pessoas que viveram situações conturbadas, que envolvem desde problemas como esquizofrenia, ansiedade e autismo até temas sociais e de cuidado cotidiano, como a saúde mental das mães e como o racismo afeta a saúde dos negros.

 

“Acredito que o desafio seja encontrar pessoas que lidem com sua própria saúde mental de maneira séria e responsável. Vejo muito mais gente diagnosticada hoje do que há um tempo, mas isso não significa que a maioria lide com isso de maneira natural e responsável. O diagnóstico é só uma palavra muitas vezes. Fazer o tratamento e mantê-lo requer disciplina, leva tempo, às vezes anos, como no meu caso”, ela explica.

 

No ano que vem, Amanda dará mais uma virada em sua vida com a criação de um novo formato – além do podcast, o ‘Esquizofrenoias’ irá ao ar em forma de série. Segundo ela, o veículo em que a atração será exibida ainda não está definido, e os episódios serão feitos de forma documental, com base jornalística. “Mas vai ser leve”, afirma.

 

Quando começou o projeto, Amanda conta que queria fazer algo diferente de tudo que já havia feito na comunicação e queria falar sobre saúde mental, mas não tinha certeza se haveria interesse público. Agora, tudo que ela mais quer é alcançar mais e mais público para explorar a mentalidade humana.

 

“Atingir o número maior de pessoas é o meu objetivo. Esse programa é pra minha galera, pessoas à margem da sociedade, que sofrem. Meu sonho é atingi-los”, conclui.

PUBLICIDADE